MotoGP

Zarco se conforma e contém expectativa com atualizações da KTM: “Se esperar demais, posso ficar mais triste”

Johann Zarco se mostrou conformado com a performance apagada no GP das Américas e reconheceu que não tinha como ser mais rápido. O #5 evitou depositar sua confiança nas atualizações da KTM, já que não quer se decepcionar

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
🏍️ Enquete: que nota você dá para o GP das Américas de MotoGP
🏍️ Confira a classificação da MotoGP após GP das Américas

Johann Zarco não está tendo vida fácil na temporada 2019 da MotoGP. Depois de chamar a atenção na Tech3, o #5 aceitou o desafio da KTM, mas ainda não conseguiu se ajustar à RC16 e tem sido constantemente ofuscado por Pol Espargaró.
 
No GP das Américas, Zarco se disse “triste por ser lento e estar lutando com a moto” na classificação, mas, mesmo com pouco ritmo, conseguiu somar dois pontos. Ainda assim, o balanço de Austin não é dos mais animadores.
 
“Eu controlei muito melhor, mas isso não significa que eu podia ser mais rápido”, disse Zarco. “Fui 13º porque alguns caras da frente tiveram problemas e quedas, mas isso faz parte das corridas, então eu só tentei terminar e pegar o que podia”, seguiu.
Johann Zarco ainda não se adaptou à RC16 (Foto: Red Bull Content Pool)
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #14: O melhor piloto de MotoGP de todos os tempos



 Ouça no Spotify
 Ouça no iTunes
 Ouça no Android
 Ouça no playerFM

“Não é surpresa ter dificuldade e estar tão longe. Nós tivemos esses problemas todo o fim de semana e um ritmo lento”, insistiu.
 
Ao contrário de Zarco, Pol Espargaró teve um fim de semana melhor, dando à KTM sua melhor posição de largada na MotoGP até aqui: um quinto lugar. Na corrida, o catalão chegou em oitavo, o melhor resultado da marca austríaca no seco.
 
“Pol está tirando o melhor da moto no momento”, reconheceu Johann. 
 
Passados os primeiros meses no time, Zarco acredita que só atualizações vão ajudá-lo a melhorar sua performance. Ainda assim, o #5 mantém os pés no chão em relação às novidades que começam a chegar a partir do GP da Espanha.
 
“Não posso ficar feliz, porque, se esperar demais das mudanças na moto e isso não chegar, posso ficar ainda mais triste”, explicou. “Vou tentar ser o mais natural possível em Jerez e coletar o máximo de informações que puder. Se coisas pequenas me derem um bom caminho para melhorar meu feeling, então eu poderei usar a minha qualidade e serei o primeiro a ficar feliz”, continuou.
 
Além das atualizações, Zarco espera que o retorno à Europa também o ajude a melhorar seus resultados.
 
“O potencial pode ser melhor do que no teste de novembro, porque nós melhoramos muito a sensação com a dianteira, que em novembro era muito fraca para mim. Temos de ver”, comentou. “Muitos caras foram rápidos em Jerez, porque eles foram capazes de usar a boa aderência e o asfalto novo. Espero que as temperaturas mais altas ajudem a reduzir a velocidade deles e que eu possa manter o mesmo ritmo ou um pouco melhor do que no teste. Isso poderia me trazer boas coisas”, apontou.