Hannu Mikkola, campeão no Mundial de Rali em 1983, morre de câncer aos 78 anos

Fazendo sua estreia em 1973, conta com 18 vitórias e 44 pódios em 123 corridas, escrevendo sua história no campeonato com a Ford e Audi

O mundo do Rali acordou em luto pela morte de Hannu Mikkola. Neste sábado (27), através das redes sociais, o Mundial de Rali anunciou que o finlandês, campeão em 1983, perdeu a luta contra o câncer e morreu aos 78 anos na noite da última sexta-feira.

Durante os 19 campeonatos em que esteve na categoria, participou de 123 largadas e alcançou 18 vitórias, sendo sete delas em sua terra natal no Rali dos 1000 Lagos, 44 pódios e o caneco de com a Audi Quattro. Ainda, foi duas vezes vice-campeão e duas vezes terminou na terceira colocação.

Nascido em 24 de maio de 1942 em Joensuu, na Finlândia, o piloto começou a competir no campeonato off-road nos anos 1960 em campeonatos nacionais. Seu primeiro triunfo veio no Rali de Pohjala em 1966, com a primeira conquista do Rali dos 1000 Lagos vindo dois anos mais tarde.

Em 1970, Mikkola e Gunnar Palm conquistaram a famosa vitória da Copa do Mundo de Rali que aconteceu entre Londres e México. Dois anos depois, a dupla se tornou a primeira a ganhar o Rali do Safári Africano do Leste. Já no WRC, o primeiro triunfo veio em 1974, justamente em seu país.

Hannu Mikkola, campeão do Rali, morreu de câncer aos 78 anos (Foto: Reprodução)

LEIA TAMBÉM
GRANDE PRÊMIO dá pontapé inicial para temporada 2021 com nova programação

Ao longo dos anos 70, defendeu diversas montadoras na categoria como Peugeot, Fiat e Toyota, mas foi com a Ford que começou a escrever seu nome no Mundial. Ao lado de Arne Hertz, trouxe o título de construtores para a fábrica em 1979, perdendo o caneco de pilotos por apenas um ponto.

A mudança em sua carreira veio de fato quando assinou com a Audi. Comandando um Quattro, venceu quatro corridas entre 1981 e 1982, com o título vindo no ano seguinte. Em 83, com quatro conquistas, sagrou-se campeão de pilotos em um Quattro A2 do Grupo B.

Jean Todt, presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), prestou uma homenagem a Hannu nas redes sociais. “Um dia muito triste para a família do Rali. Hannu Mikkola foi um lendário piloto e um amigo de longa data, campeão de 1983, sete vezes vencedor do Rali dos 1000 Lagos. Tive o privilégio de ser seu co-piloto em 1975, corremos o Rali do Ártico em um Fiat 124. Meus pensamentos estão com seus amados”, escreveu.

A última vitória de Mikkola veio no Rali do Safári, no Quênia, em 1987, com um Mazda, antes de abandonar o Mundial em 1991. Entretanto, voltou à categoria como piloto convidado até 2017.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube