Na festa dos 20 anos, Rali dos Sertões chega a Fortaleza para premiar mito e coroar cinco novos campeões

Entre os ‘quase campeões’ da edição de 2012, apenas Guido Salvini já conquistou títulos do Rali dos Sertões. Mito do rali, Stéphane Peterhansel vai escrever seu nome na história dos vencedores da prova ao lado de Felipe Zanol, Carlos Policarpo, Marcelo Medeiros e Bruno Sperancini

Quase 5 mil km de terra batida, poeira e asfalto ficaram para trás. O Rali dos Sertões chega a Fortaleza, capital do Ceará, nesta terça-feira (28), depois de nove especiais disputadas, com pilotos, navegadores e equipes de apoio que vão festejar a vitória, já que, para muitos, o grande objetivo era, acima de tudo, terminar a prova. Mas seis pilotos vão figurar na galeria dos campeões, sendo que cinco deles deverão fazê-lo de forma inédita.

A começar por Stéphane Peterhansel. Mito do rali cross-country, maior nome da história do esporte e dez vezes vencedor do Dakar — seis nas motos e quatro nos carros, sempre ao lado do inseparável Jean-Paul Cottret — chegou a São Luís com toda a pinta de favorito. Além de seu histórico insuperável, Peterhansel tinha, a seu favor, o incrível Mini All4 Racing da equipe alemã X-raid. Foi o mesmo carro que o francês conquistou seu décimo Dakar, no início deste ano.
 

Peterhansel chegou como favorito e tem boa vontagem perante os rivais (Foto: Theo Ribeiro / Fotoarena)


Praticamente com a mão na taça, Peterhansel e Cottret, que venceram seis das nove especiais do Rali dos Sertões até o momento, já administram a boa vantagem perante os rivais, a ponto de ‘dar uma força’ a Riamburgo Ximenes. O experiente piloto cearense, que garantiu uma vaga na equipe alemã, mas para correr com um BMW X3 CC, venceu a última especial, entre Petrolina e Iguatu, e deve chegar a Fortaleza, sua casa, como vencedor de mais uma etapa.

Mas a festa maior será de Peterhansel, que vai se unir a nomes como Carlos Sainz, Giniel de Villiers, Spinelli e o próprio Riamburgo como vencedores do Rali dos Sertões nos carros.

Grande nome do motociclismo brasileiro, ao lado da revelação Eric Granado, Felipe Zanol deixou de ser promessa há muito tempo. Há dois anos, o mineiro de Belo Horizonte encantou a todos por andar no mesmo ritmo do lendário Marc Coma no Rali dos Sertões. Zanol ficou em segundo, mesmo resultado obtido no ano passado, quando ficou, por detalhes, atrás do polêmico Cyril Després. Mas tudo mudou (para melhor) em 2012.

Agora contando com o apoio da Honda Racing, equipe de fábrica da montadora japonesa, que inclusive já o confirmou como um dos nomes no Dakar 2013, Zanol mostrou grande evolução técnica e se consolida dia após dia como o melhor piloto cross-country de moto do Brasil.

É bem verdade que nenhum grande nome estrangeiro disputou a prova deste ano, mas isso, de forma alguma, desvaloriza o provável triunfo de Zanol, que teve duros adversários pela frente, como Jean Azevedo — até o momento de sua queda e abandono — e Dário Júlio Souza. Felipe vem para conquistar o título mais importante de sua carreira como piloto de rali.

Depois do resultado no Rali dos Sertões, o foco de Zanol estará todo voltado para o Dakar. Felipe entende que a disputa da prova, que se encerra hoje, é um teste real visando a competição que se inicia em 5 de janeiro em Lima, Peru.
 

Após Sertões, Zanol muda o foco para edição 2013 do Dakar (Foto: Theo Ribeiro/Fotoarena)


Nos caminhões, ‘dois pesos e duas medidas’. Carlos Policarpo, confirmado apenas em maio como piloto da Ford Território para a disputa do Rali dos Sertões, voltou às competições depois de dois anos afastado. À época, o piloto participava de ralis, mas com carros. E Policarpo, ao lado de Rômulo Seccomandi e Davi Fonseca, vai coroar sua primeira participação no Sertões correndo nos caminhões leves garantindo de cara o título e colocando seu nome no rol dos campeões da prova, e logo em um ano especial, quando o Sertões completa 20 anos.

Na categoria caminhões pesados, é possível dizer que Guido Salvini vem travando, ano após ano, disputas com Edu Piano e André Azevedo. Dessa vez, o vencedor foi o carioca de Petrópolis, que vai conquistar um bicampeonato consecutivo nos caminhões pesados, levando seu Mercedes Atego à rampa da vitória ao lado de Flávio Bisi e Fernando Chwaigert, terminando em segundo lugar na classificação geral dos ‘brutos’, ficando só atrás de Policarpo.

O Rali dos Sertões também vai coroar um novo campeão nos quadriciclos. Com a saída do atual campeão, Tom Rosa, que sofreu uma queda ao longo da competição, o caminho ficou aberto para o êxito de Marcelo Medeiros, que manteve bom ritmo durante toda a prova e deve ficar, merecidamente, com o troféu de campeão, garantindo o êxito para a equipe do Maranhão, que investiu pesado na edição 2012 do Sertões desde o início, na largada, em São Luís.

Os pilotos dos UTVs também têm motivos de sobra para comemorar a chegada a Fortaleza nesta terça-feira. O Rali dos Sertões foi uma verdadeira batalha para as 11 duplas que se inscreveram para a disputa da prova. A categoria, realizada de maneira experimental, indicou que precisa evoluir em termos como segurança — minimizar os riscos de incêndio — e resistência. Não à toa, apenas três UTVs chegaram a Iguatu, na última segunda-feira.

No fim das contas, venceu quem mais investiu neste Sertões. Bruno Sperancini, atual líder do Campeonato Brasileiro, guiou, ao lado de Thiago Vargas, um protótipo, bem mais forte e resistente que os demais concorrentes. Correndo pela equipe Prominas, o piloto, que deve disputar o Dakar de 2013, dominou do início ao fim, ficou livre de problemas e só precisa largar e chegar ao parque fechado para garantir mais um triunfo em sua carreira, o primeiro no Rali dos Sertões.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube