Rali

No deserto de Kalahari, Alonso realiza primeiro teste com carro do Rali Dakar em 'presente' da Toyota

Fernando Alonso foi à África do Sul e ao deserto de Kalahari para, nesta quarta-feira (27), testar pela primeira vez um carro de rali. O espanhol guiou o Toyota Hilux utilizado pela Toyota no Rali Dakar - e teve direito a dicas de Giniel de Villiers

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Fernando Alonso viveu uma experiência nova na manhã desta quarta-feira (27): pela primeira vez, o bicampeão mundial de F1 testou carros próprios para o Rali Dakar. Foi no deserto Kalahari, na África do Sul, que Alonso guiou o Toyota Hilux preparado com que a marca japonesa disputa a mais famosa prova off-road do mundo.
 
Junto dele no teste estava Giniel de Villiers, piloto de fábrica da Toyota e, sul-africano que é, conhecedor do terreno como poucos dos principais pilotos de rali. De Villiers deu algumas dicas a Alonso, como, por exemplo, a necessidade da busca imediata por reconhecer o terreno em que se está guiando.
Fernando Alonso recebe dicas de Giniel de Villiers em teste na África do Sul (Foto: Toyota)
Alonso saiu bastante animado com a oportunidade. Ao deixar o carro, mostrou-se impressionado com a resistência do carro a diferentes desafios, como andar sobre rochas, encarar buracos e saltar sobre o terreno. 
 
"Eu me senti diferente, é interessante. Acho que foi proveitoso, especialmente na parte de entender o que o carro pode aceitar. O carro aceita mais castigos em relação àqueles que estou acostumado a dar para os carros que guio, porque anda sobre pedras e rochas. Você salta com o carro e ele responde bem, isso foi o mais diferente", avaliou.
 
O espanhol, que disputa o Mundial de Endurance ela Toyota e tem a Indy 500 no calendário dele para os próximos meses, destacou a dificuldade de entender e identificar desafios dos ralis.  
Fernando Alonso no deserto (Foto: Toyota)
"De qualquer forma é difícil adivinhar a profundidade dos solavancos e quanta velocidade dá para ter quando encara-los, mas o carro é genial. Tem ótima aderência, o equilíbrio é muito bom, tem boa potência e também é bom de freios. Tudo é impressionante, estou muito feliz", apontou.
 
Embora negue por enquanto a possibilidade de disputar o Rali Dakar no futuro, Alonso tem se mostrado aberto a oportunidades de guiar em importantes provas do mundo do esporte a motor nos últimos anos. O foco inicial é completar a Tríplice Coroa - da qual resta apenas a Indy 500 -, mas, aos 37 anos de idade, Alonso ainda tem muito tempo de carreira nas mãos.