Rali
11/01/2018 19:31

Sainz domina etapa na altitude de La Paz e reduz vantagem de Peterhansel na liderança do Rali Dakar

A sexta especial do Rali Dakar nos carros deu mais uma amostra de que o título da 40ª edição da maior prova off-road do mundo deve ficar mesmo nas garras da Peugeot. Stéphane Peterhansel segue placidamente na liderança da prova, mas Carlos Sainz, vice-líder, cortou um pouco da vantagem do ‘Monsieur Dakar’ ao vencer nesta quinta-feira em La Paz. Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin seguem na ponta nos SxS
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Carlos Sainz (Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)

6ª ETAPA | 11 de janeiro
Arequipa (PER) – La Paz (BOL)
Trecho cronometrado (motos e quadris): 313 km
Percurso total: 758 km
 
A Peugeot deu mais uma amostra da sua força e deixou claro que apenas um grande azar vai tirar das suas garras o título da 40ª edição do Rali Dakar nos carros. A marca francesa, que lidera a maior competição off-road do mundo desde o segundo dia de disputas, chegou à Bolívia de forma triunfal, com direito a dobradinha. Mas desta vez, o ‘Monsieur Dakar’ Stéphane Peterhansel foi superado pelo companheiro de equipe, o espanhol Carlos Sainz, que alcançou sua 30ª vitória em especiais no Dakar e diminuiu um pouco a diferença que o separa do líder e grande favorito ao título.
 
No total de 313 km de especial, divididos em dois trechos cronometrados e um de neutralização, Sainz liderou em todos os waypoints e alcançou uma vitória tranquila ao lado do seu navegador, o também espanhol Lucas Cruz, depois de completar o percurso em 2h23min27s, 3min37s mais rápido que Peterhansel e Jean-Paul Cottret, que finalizaram logo atrás. Contudo, apesar da vitória, a dianteira do recordista de títulos e vitórias em especiais no Dakar está longe de ser ameaçada por Sainz, campeão em 2010.
Carlos Sainz e Lucas Cruz venceram a especial antes do dia de descanso no Rali Dakar (Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)
Peterhansel tem um tempo total de 16h25min02s e está 27min10s à frente de Sainz, restando ainda oito etapas para o fim da 40ª edição do Rali Dakar.

“Hoje mudou todo o panorama do Dakar. Acabaram as dunas de areia, das quais já estávamos cansados. Hoje correu tudo bem, não tivemos nenhum grande problema, o carro foi perfeito. Foi uma especial muito rápida, com longas retas”, descreveu o vencedor do dia.
 
No total, 62 carros, dez UTVs e 33 caminhões largaram em Arequipa rumo à sexta etapa do Rali Dakar, que teve como destino a capital boliviana, La Paz. Pode-se dizer que a especial teve duas partes. Na primeira, os competidores percorreram um total de 118 km de trecho cronometrado para depois abordar uma zona de neutralização e deslocamento de 238 km. Neste trecho, a altitude chegou a 4.700 m, às margens do famoso Lago Titicaca, avançando em solo boliviano.
 
Foi uma especial com cenário bem diferente do deserto e das dunas do Atacama, predominante nos dias do Dakar em solo peruano. Em trechos muito mais rápidos que na areia, porém em setores com a paisagem branca da neve, Sainz foi o mais rápido da primeira parte, com vantagem de 1min47s para Peterhansel, que já indicava estar administrando a larga vantagem na liderança perante o espanhol, segundo colocado no geral.
 
Nasser Al-Attiyah surgia em terceiro na primeira parte da especial, seguido por Mikko Hirvonen, que encarou um terreno mais afeito às suas habilidades de ex-piloto do WRC. Com o Mini, o finlandês se colocou à frente dos Toyota Hilux de Giniel de Villiers e de Bernhard Ten Brinke, um dos grandes destaques da última quarta-feira, enquanto Orlando Terranova era o sul-americano melhor colocado, em sétimo, seguido pelo compatriota Leonel Alvarez, o francês Cyril Despres, em fase de recuperação, e o tcheco e também piloto do WRC Martin Prokop.
Stephane Peterhansel e Jean-Paul Cottret seguem na liderança do Dakar nos carros (Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)
Na retomada da especial, ‘El Matador’ continuou acelerando forte em um terreno onde costuma se dar bem, enquanto Peterhansel manteve um ritmo constante para andar perto dos tempos do seu companheiro de equipe. Nasser e Hirvonen continuaram muito bem e conseguiram lidar da melhor forma com o frio e a chuva na transição de terreno ao chegar à Bolívia. 

Al-Attiyah foi o terceiro mais rápido da especial, seguido pelo companheiro de Toyota, Giniel de Villiers. Aí apareceu o Peugeot de Cyril Despres, quinto colocado da etapa, à frente de Hirvonen, que perdeu um pouco de terreno no fim. Ten Brinke voltou a andar bem, embora longe da performance nas dunas do Atacama na quarta-feira, e foi o sétimo, com o argentino Leonel Alvarez em oitavo. Prokop se manteve no top-10, em nono, e Jakub 'Kuba' Przygonski foi o décimo.

Sainz foi o quinto piloto a vencer uma especial na disputa dos carros — apenas Nasser Al-Attiyah triunfou em mais de uma. O espanhol mostrou o poderio da Peugeot, que já viu vitórias com seus quatro conjuntos, embora Cyril Despres e David Castera estejam longe da briga pela vitória e Sébastien Loeb e Daniel Elena tenham abandonado na última quarta-feira após uma fratura no cóccix. 

Na classificação geral da prova, o melhor piloto 'não Peugeot' é Ten Brinke, que aparece em terceiro, mas distante 1h20min41s do temo geral de Peterhansel. Nasser vem em quarto e De Villiers fecha o top-5 com três Toyota entre os cinco primeiros. Przygonski aparece em uma boa sexta posição e é o melhor Mini, enquanto Martin Prokop é o sétimo colocado. E Despres, em recuperação, surge em 16º na classificação geral prévia após seis etapas do Dakar.


Varela e Gugelmin mantém liderança nos SxS. Francês vence etapa
 
O Brasil continua firme e forte na liderança do maior rali do mundo. Pelo segundo dia consecutivo, Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin encerraram a classificação geral dos SxS, nova nomenclatura dos UTVs, na frente. E o percurso entre Arequipa e La Paz se mostrou bastante favorável à dupla da Can-Am, que liderou praticamente toda a prova. Apenas nos waypoints finais, o duo perdeu um pouco de terreno para a tripulação da Polaris comandada por Patrice Garrouste.
 
O francês, que corre pela Xtremeplus, equipe campeã do Dakar no ano passado com Leandro Torres e Lourival Roldan, triunfou pela segunda vez na prova. Ao lado do navegador suíço Steven Griener, Garrouste cumpriu os 313 km de especial com 2min29s de vantagem para Varela. O conjunto formado pelos peruanos Juan Carlos Uribe Ramos e Javier Uribe Godoy, da Can-Am, ficou logo atrás.
Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin seguem na ponta do Rali Dakar nos SxS (Foto: Gustavo Epifanio/photosdakar.com)
E são esses três UTVs que lutam diretamente com maiores chances de título no Rali Dakar. Após seis etapas, Varela e Gugelmin ainda lideram. A vantagem para a tripulação peruana, que aparece em segundo, aumentou, porém consequentemente diminuiu em relação a Garrouste, que continua em terceiro, porém com a diferença ligeiramente menor antes do dia de descanso.
 
Varela e Gugelmin têm tempo total de prova de 25h43min42s e estão 32min07s à dos peruanos Uribe e Godoy. Garrouste e Griener reduziram um pouco a diferença para os brasileiros, mas a vantagem de Varela ainda é bem respeitável, de 1h24min13s para a tripulação franco-suíça.


‘Coyote’ Villagra vence nos brutos, mas Nikolaev segue na frente
 
Federico ‘Coyote’ Villagra venceu pela segunda vez uma etapa dos caminhões na edição 2018 do Rali Dakar. Desta vez, o argentino, que pilota o ‘bruto’ Iveco da equipe do holandês Gerard de Rooy, travou uma grande disputa com os tchecos Martin Macik e Martin Kolomy. Destaque também para o holandês Ton Van Genugten, companheiro de equipe de Villagra na Iveco.
 
Por sua vez, o líder do Dakar, Eduard Nikolaev, fez uma prova conservadora rumo a La Paz. O russo do caminhão #500 da Kamaz terminou o percurso cronometrado 5min25s atrás de Villagra, que ocupa a vice-liderança na classificação geral. No fim das contas, o líder do ‘exército russo’ da Kamaz não teve muito a lamentar, uma vez que segue bem à frente dos rivais na classificação geral.
Eduiard Nikolaev a caminho de La Paz na sexta etapa do Rali Dakar (Foto: Red Bull Content Pool)
Agora, com tempo total de prova de 19h27min27s, Nikolaev, que corre ao lado dos copilotos Evgeny Yakovlev e Vladimir Rybakov, tem vantagem de 52min40s para Villagra, Ricardo Adrian Torlaschi e Adrián Yacoini. Siarhei Viazovich, de Belarus, continua em terceiro e, ao lado de Pavel Haranin e Andrei Zhyhulin, estão 2h29min42s atrás dos líderes do Dakar nos caminhões.
 
Nesta sexta-feira, os pilotos e navegadores do Rali Dakar vão ter um dia de descanso na capital boliviana. Depois de uma primeira parte de prova bastante exigente em razão das dunas do Deserto do Atacama, ainda em solo peruano, a segunda fase do Rali Dakar entra em um terreno bastante distinto, com frio e até neve, além da altitude, antes de entrar na sua fase final, na Argentina, a partir de segunda-feira.