Rali

Walkner supera Brabec no fim e vence segunda especial do Dakar nas motos. Barreda Bort segue líder

Atual campeão do Rali Dakar, o austríaco Matthias Walkner seguiu muito de perto Ricky Brabec, que liderou praticamente toda a especial entre Pisco e San Juan de Marcona. Nos 40 km finais, o #1 superou o norte-americano e terminou apenas 22s à frente. Joan Barreda Bort foi o terceiro e manteve a liderança no geral. Nos quadriciclos, segunda vitória de Nicolás Cavigliasso

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
2ª etapa – Pisco – San Juan de Marcona 
Trecho de especial: 342 km
Deslocamentos: 212 km
Trecho total: 554 km
 
Assim como aconteceu na disputa dos carros, o Rali Dakar 2019 tem um novo líder nas motos ao fim da segunda especial da prova, entre Pisco e San Juan de Marcona, nesta terça-feira (8). Em meio às desafiadoras dunas, o trecho cronometrado de 342 km ofereceu muitas dificuldades aos pilotos, principalmente em termos de navegação. A batalha ficou, do início ao fim, entre o norte-americano Ricky Brabec, da Honda, e o atual campeão, Matthias Walkner, da KTM. Brabec liderou a especial praticamente de ponta a ponta, passando em primeiro até o waypoint 8, o penúltimo antes da zona de meta. Foi então que Walkner virou o jogo nos 40 km finais e fechou a etapa com 22s de vantagem ao completar o percurso em 3h23min57s.
 
Vencedor da primeira e mais curta especial da 41ª edição do Rali Dakar, Joan Barreda Bort ficou próximo aos líderes, mas fechou a disputa em terceiro lugar, ficando 1min41s atrás de Walkner. 
Atual campeão, Mathias Walkner venceu a apertada segunda especial do Dakar nas motos (Foto: Red Bull Content Pool)
Também da KTM, o australiano Toby Price se manteve entre os primeiros colocados e foi o quarto na especial desta terça-feira, ficando a 3min06s do tempo alcançado por Walkner. E Pablo Quintanilla, chileno da Husqvarna que foi um dos grandes nomes da etapa de abertura do Dakar ao ficar em segundo lugar, desta vez finalizou em quinto, 3min24s atrás do vencedor da especial.
 
Sam Sunderland, britânico que defende a KTM, ficou em sexto, completando a especial exatamente em 3h30min, sendo seguido pelo francês Adrien Van Beveren, com a Yamaha melhor colocada na prova. O francês, contudo, viveu uma jornada bastante difícil e perdeu bastante tempo em relação aos seus concorrentes mais diretos, ficando 9min05s atrás de Walkner.
 
Kevin Benavides, argentino da Honda, foi o segundo melhor sul-americano na especial, em oitavo, seguido pelo norte-americano Andrew Short, da Husqvarna, e pelo chileno Juan Ignacio Cornejo Florimo, da Honda. Outra Honda, do experiente Paulo Gonçalves, ficou logo atrás, em 11º.
 
Terceiro na especial do dia, Joan Barreda Bort ainda segue como líder geral do maior rali do mundo nas motos com uma dianteira de 1min31s perante Walkner, que assumiu a segunda posição, e Brabec vem logo atrás, em terceiro, apenas 2s atrás do austríaco. Duas Honda e uma KTM nas três primeiras posições.
 
Pablo Quintanilla perdeu duas colocações, mas segue entre os primeiros, na quarta posição, com 3min17s de atraso para Barreda Bort. Price vem em quinto, com Sanderland em sexto, seguido por Van Beveren, Kevin Benavides, Cornejo Florimo e Andrew Short completando a lista dos dez melhores posicionados no momento no 41º Rali Dakar.
Nicolas Cavigliasso (Foto: José Mário Dias/Fotos ASO)
Nova dobradinha argentina
 
O começo da disputa dos quadriciclos no Rali Dakar 2019 é de um notável domínio argentino. Após uma dobradinha na especial de abertura, a segunda etapa, entre Pisco e San Juan de Marcona, terminou com mais uma vitória de Nicolás Cavigliasso. O #240 realizou o percurso da especial em 4h22min10s.
 
O que mudou foi o dono do segundo lugar. Se ontem o atual vice-campeão teve Jeremias González Ferioli na segunda colocação, a chegada em Marcona foi com Gustavo Gallego em segundo, com 11min18s de defasagem.
 
A terceira colocação foi de um francês, Alexandre Giroud, que chegou 14min21s depois. O chileno Giovanni Enrico, o checo Tomas Kubiena e Ferioli deram a sequência do top-6 do dia. A lista com os primeiros dez colocados ainda teve Manuel Andujar, Martin Sarquiz - ambos também argentinos -, o boliviano Walter Nosiglia e o polonês Kamil Wisniewski.
 
Cavigliasso lidera a classificação geral com o tempo de 5h39min25s e tem 21min14s de vantagem para Gallego. Giroud está 25min02s atrás.