Stock Car

Barrichello se emociona em dividir pódio com “irmão das lutas” Wilson: “Amigo de jogar bola na rua”

Rubens Barrichello e Max Wilson travaram duelo até a última volta da Corrida do Milhão: o primeiro venceu, o segundo ficou um degrau abaixo no pódio. Mas na hora da comemoração, se abraçaram e beberam o leite dado em Goiânia juntos, lembrando a amizade que mantêm há mais de 30 anos
Warm Up, de Goiânia / FELIPE NORONHA, de São Paulo
 Max Wilson e Rubens Barrichello bebem leite no pódio da Corrida do Milhão (Foto: Denis Ribeiro / Vicar)
Rubens Barrichello desceu do topo de seu carro, após dar sua famosa "sambadinha", e começou sua caminhada em direção ao pódio da Corrida do Milhão da Stock Car, no último domingo (5). No caminho, entre acenos para o público e desvios de fotógrafos, o vencedor só parou para fazer uma coisa: dar um forte abraço em Max Wilson, segundo colocado da prova.

Não foi à toa: eles são amigos há mais de 30 anos. E dividir o pódio com alguém que conhece desde a infãncia, além do próprio filho, emocionou Barrichello. 

Depois da festa, em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO, o #111 falou sobre essa amizade e a importância de ter Wilson perto em momento tão marcante.
Max Wilson e Rubens Barrichello no pódio da Corrida do Milhão (Foto: Denis Ribeiro / Vicar)
"É muito diferente. Amigo de infância, amigo de jogar bola na rua, jogar bolinha de gude, taco. Eu tenho um carinho enorme pelo Max e considero ele, de verdade, um irmão. Um irmão das lutas, das coisas", contou.

"Eu me emociono muito de saber da dureza que foi para ele, um cara que não tinha condições e que foi indo. Dividir isso com ele, e sabendo que se a gente tivesse lutando na última volta, a gente vai lutar cada um por si e deus por todos, mas você pode confiar que é um cara que vai lutar com lealdade", seguiu.

"É muito bom ouvir que a gente tem amigos na vida. São aqueles que ficam. Pode ter certeza que o Max vai estar na pizza hoje (domingo), e eu estou pagando, pode ter certeza", completou Barrichello.

E o "muito bom ouvir que a gente tem amigos" foi dito após o GP contar que, minutos antes, havia falado com Wilson, que também se emocionou em subir no pódio com alguém que conhece desde criança.
Pódio da Corrida do Milhão (Foto: Duda Bairros/Vicar)
"É muito legal, é difícil até de descrever, Primeiro, quando você tem um grande amigo que você admira como pessoa, como eu admiro o Rubinho. Uma pessoa que admiro como competidor, como esportista, pela carreira que ele fez. E ter essas oportunidades de estar aqui disputando depois de mais de 35 anos de amizade, disputando uma corrida...", contou o piloto da Eurofarma.

"Já chegamos ao pódio algumas vezes juntos, às vezes eu em cima, ele embaixo, ou vice e versa. Hoje ele teve um dia melhor que eu... Mas é uma emoção muito grande. É um respeito muito grande que eu tenho por ele. E ter uma disputa ali, roda a roda, com um excelente piloto e um grande amigo, é um privilégio", continuou.

Para encerrar, o #65 resumiu a felicidade sentida: "Nunca imaginei na minha carreira que fosse ter momentos como esse, de tanta representatividade, mais até pessoal do que profissional, isso é muito bom. E feliz por estar aqui fazendo o que a gente gosta."

Ambos terão nova chance de dividir a pista e, quem sabe, o pódio, na próxima semana, quando a Stock Car vai para Campo Grande, com rodada dupla no 19 de agosto e cobertura 'in loco' do GP.