FIA pune reincidente Enge com suspensão de 18 meses por doping no Mundial de GT1, diz site

Tomás Enge, de 35 anos, foi suspenso pela FIA com suspensão de 18 meses por uso de substância dopante. Contudo, o tcheco já avisou que vai recorrer à Corte de Apelações da entidade para reverter a punição

No último mês de maio, após a etapa de Navarra do Mundial de GT1, Tomás Enge foi submetido a um exame antidoping, prática comum em campeonatos promovidos pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo). Um mês depois, a WADA (Agência Mundial Antidoping) noticiou que o tcheco, de 35 anos, testou positivo para substância dopante, não revelada pela entidade. O caso pegou de surpresa o próprio piloto, que teve sua carreira posta em xeque desde então.

Enge alega inocência e diz que vai recorrer da punição imposta pela FIA (Foto: Divulgação)

E segundo revela o site ‘Motorsport.com’, a FIA decidiu suspender Enge por 18 meses. O piloto é reincidente quanto a testar positivo para doping. Há dez anos, Tomás fez uso de maconha e perdeu talvez aquele que seria seu título mais importante, o da F3000, que acabou ficando com Sébastien Bourdais. À época, Enge admitiu sua culpa, bem diferente da situação atual.

Desta vez, porém, Enge alega que não tomou nenhuma substância ilegal e, aparentemente, vai tentar provar sua inocência. Assim que soube do teste positivo, o tcheco se disse chocado e revelou que ingere medicamentos por conta de problemas cardíacos.

“Recentemente pedi à FIA uma isenção para que pudesse tomar medicamentos que estão na lista de substâncias banidas para o tratamento de problemas cardiovasculares. Agora vou me consultar com especialistas para descobrir como esta situação ocorreu. Espero que a Corte de Apelações consiga confirmar minhas declarações”, disse à época Enge.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube