F1
29/04/2017 10:52

Alonso mira corrida perfeita dentro das limitações, mas vê McLaren perdendo “inacreditáveis” 3s nas retas de Sóchi

15º no grid de largada para o GP da Rússia, Fernando Alonso afirmou que a McLaren perde quase 3s nas retas de Sóchi por conta do déficit de potência do motor Honda. Asturiano celebrou vantagem para Stoffel Vandoorne e mirou fazer uma corrida perfeita dentro das limitações do MCL32
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Fernando Alonso (Foto: McLaren)
 
Fernando Alonso colocou a McLaren na 15ª colocação no grid de largada para o GP da Rússia. Neste sábado (29), o asturiano registrou 1min36s660 como sua melhor marca e ficou a 3s466 do tempo da pole-position de Sebastian Vettel em Sóchi.
 
Após a classificação, Alonso avaliou que a McLaren está perdendo cerca de três segundos por volta nas retas do circuito russo por conta do déficit de potência do motor Honda.
 
Questionado sobre um comentário que fez pelo rádio, Alonso explicou: “É inacreditável o quanto perdemos nas retas. Acho que foi 1s3 no primeiro setor e só tem uma curva e nós não tivemos problemas lá, então é isso que temos”.
Fernando Alonso espera corrida perfeita dentro das limitações da McLaren (Foto: Mclaren)

“Nas retas, nós perdemos de 2s5 a 3s neste circuito e, portanto, é um pouco... nós já sabíamos disso antes de vir para cá, mas aí chega a classificação e você sempre quer um pouco mais”, comentou.
 
Mesmo decepcionado com a performance da McLaren, Fernando encontrou uma razão para comemorar, já que superou Stoffel Vandoorne por sete décimos.
 
“Acho que foi uma classificação basicamente perfeita”, comentou Alonso. “A volta no Q1 seria difícil de repetir. No Q2, eu cometi alguns erros, mas o Q1 foi muito bom, então fico com isso”, continuou.
 
“Sete décimos para o meu companheiro de equipe, com o mesmo carro, alguém que venceu em todas as categorias antes de chegar à F1, então ainda me sinto no auge da minha forma e no meu melhor momento”, declarou.
 
Perguntado sobre sua expectativa para a corida, Alonso respondeu: “Mais ou menos o que vimos no Bahrein, o que vimos na China, na Austrália, o que vamos ver na Espanha, em Mônaco, no Canadá...”.
 
“Toda quinta, sexta, sábado e domingo eu me coloco na frente de vocês e tento responder da maneira mais educada, mas vai ser um pouco monótono, um pouco da mesma história, como sempre foi na F1”, falou Fernando. “Já podemos dizer que Ferrari e Mercedes vão brigar pela vitória este ano, que a Red Bull vai tentar estar no pódio, que a Williams estará na zona de pontuação, e o resto vai tentar pontuar quando os demais permitirem. Então vamos tentar ter uma corrida perfeita, mas cientes das nossas limitações”, concluiu.
 
O GP da Rússia, o quarto do ano, acontece neste fim de semana, e o GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades em Sóchi AO VIVO e em TEMPO REAL.


 
PADDOCK GP #75 DEBATE: FERNANDO ALONSO VAI SE DAR BEM NA INDY 500?