Apenas 6º, Albon explica uso de pneus médios no Q3: “Macios são impossíveis de aquecer”

Além do problema com os pneus, Albon vê a corrida em Portugal como mais uma prova, sem pressão extra pela vaga na Red Bull

Qual o objetivo de Alexander Albon no fim da temporada 2020 para manter o emprego em 2021? Qualquer que seja, o GP de Portugal é extremamente importante. No treino de classificação deste sábado (24), o tailandês fechou na sexta posição, atrás de uma Ferrari e outra Racing Point. E saiu considerando a tentativa de usar pneus macios no Q3 um erro.

Na realidade, foi de estranhamento geral quando Albon surgiu de pneus médios na fase final do treino – algo que, alguns minutos depois, a Mercedes também fez. Mas voltou aos macios. O erro foi esse.

Alex Albon larga em sexto em Portugal (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

+Do Canadá/2007 a Eifel/2020: como Hamilton alcançou Schumacher em número de vitórias

+Do McLaren MP4-22 ao Mercedes W11: os carros vencedores de Hamilton na F1

“Tem sido difícil para muitas equipes e pilotos com o vento e todo o resto, com as diferenças entre todos sendo bem grande e foi difícil. Saímos de pneus médios, o que foi bom, mas mudamos para os macios no fim e acabou sendo um stint comprometido”, disse.

“A pista está bastante escorregadia e ainda não normalizou. Os pneus macios são impossíveis de aquecer e você acaba escorregando pela pista. Com os médios, você aquece e pode dar algumas voltas”, comentou.

“Vou tratar como qualquer outra corrida, não há muito mais pressão nessa. Vamos cruzar os dedos e ver o que acontece”, seguiu.

A largada do GP de Portugal está marcada para 10h10 (de Brasília). Antes, a partir de 9h, o GRANDE PRÊMIO traz a edição pré-corrida do Briefing com a análise do treino classificação e as últimas informações de PortimãoTudo na GPTV, o canal do GP no YouTube.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube