Vettel e Alonso culpam pneus e downforce por pouca visibilidade do F1 na chuva

Depois da não-corrida do GP da Bélgica, Sebastian Vettel e Fernando Alonso concordaram com a decisão da FIA (Federação Internacional do Automobilismo) em não realizar a prova, mas apontaram que os pneus atuais da categoria também não ajudam em pista molhada

COMO O GP DA BÉLGICA DE F1 VALEU PONTOS SE SÓ TEVE UMA VOLTA

A decisão da FIA (Federação Internacional do Automobilismo) pela não-corrida do GP da Bélgica por motivos de segurança foi acertada, de acordo com os pilotos do grid. Afinal, a chance de batidas pela grande quantidade de água na pista e a falta de visibilidade causariam facilmente um acidente. A tese foi reforçada pelos campeões Sebastian Vettel e Fernando Alonso, que entendem ainda que os pneus maiores, mais largos e o alto nível de downforce da atual geração de carros da F1 têm grande parcela de culpa pela pouca visibilidade em pista muito molhada.

“Os pneus mudaram. Acho que os de chuva extrema que tínhamos antigamente tornavam tudo mais fácil para condições de pista muito, muito molhada”, afirmou Seb nesta quinta-feira (2) de entrevistas em Zandvoort, na Holanda, onde a Fórmula 1 está para a 13ª etapa da temporada.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Vettel
Sebastian Vettel disse os pneus maiores, mais largos e de alto nível de downforce das atuais temporadas da Fórmula 1 não ajudam em casos de pista molhada (Foto: Kenzo Triboullard/AFP)

Ambos os pilotos foram questionados sobre as diferenças da última etapa em Spa-Francorchamps para o GP de Japão de 2007, em Fuji. Há quase 14 anos, numa prova também marcada por um dilúvio, uma largada com os carros em movimento e da constante presença do safety-car na pista, Lewis Hamilton venceu. Só que, para os dias de hoje, Vettel explicou que, embora a vontade de correr seja a mesma, é preciso priorizar cada vez mais a segurança.

“O apetite pelo risco é o mesmo”, afirmou o piloto da Aston Martin. “Estamos felizes em correr, desde que seja seguro. Acho que os carros mudaram. Há mais efeito no solo com os carros que temos agora e mais downforce. Parece que sugamos mais água do solo”, acrescentou.

Alonso, que abandonou aquela corrida em Fuji, compartilha da opinião do alemão. Perguntado várias vezes sobre as mudanças entre gerações de modelos da F1, o bicampeão mundial apontou o mesmo que Vettel: os pneus. Para o asturiano, os pneus de anos atrás eram mais resistentes, mas também não significa que eram mais seguros para as provas.

“O que mais mudou ao longo dos anos foram os pneus. Acho que os carros, seja pelas novas regras aerodinâmicas ou por qualquer outro motivo, geram mais spray d’água quando você está correndo atrás de alguém. Eles são mais mais largos agora do que eram em 2007” lembrou o espanhol da Alpine.

Último da geração, Räikkönen deixa F1. E sempre soube o que estava fazendo
Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Provavelmente, os pneus de extrema chuva também eram um pouco mais fortes naquela época. Talvez o tamanho do pneu ajudasse na aquaplanagem. Além disso, há a natureza do circuito. Spa é de alta velocidade. Então, as condições não eram adequadas para a corrida”, seguiu.

“Era [apenas] uma questão de tempo para que um grande acidente acontecesse. E eu acho que a FIA queria evitar isso. Essa foi a decisão certa”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar