Aston Martin vê críticas pesadas e diz que Stroll “se sente constantemente sob pressão”

Chefe da Aston Martin, Mike Krack diz que Lance Stroll se sentiu constantemente pressionado ao longo de toda a temporada pelas críticas que recebeu por seu desempenho

A Aston Martin foi a grande surpresa do início da temporada 2023 da Fórmula 1. Após terminar em sétimo no Mundial de Construtores do ano anterior, a equipe de Fernando Alonso e Lance Stroll chamou atenção durante a primeira etapa no Bahrein e se colocou como a segunda força do grid naquele momento, atrás somente da Red Bull. Apesar do bom desempenho do AMR23 na maior parte do ano, os dois pilotos tiveram resultados bem diferentes na pista. Enquanto o espanhol subiu oito vezes ao pódio, o canadense de 25 anos teve um quarto lugar no GP da Austrália como o seu ponto alto. E falando sobre a disparidade de performance da dupla, Mike Krack reconheceu que o filho de Lawrence Stroll se sentiu pressionado pelas críticas que recebeu por seu desempenho.

“Ele é um atleta muito jovem, e isso pesa sobre ele”, disse o chefão da Aston Martin. “O piloto busca sempre o bom desempenho, mas quando não atende às expectativas, é sempre difícil”, completou.

Relacionadas


“Você não deve esquecer que Lance foi prejudicado por lesões no início da temporada, quando tínhamos um carro muito forte em comparação com a concorrência. E então, quando ele se recuperou totalmente, o carro perdeu rendimento.”

O canadense ficou de fora da pré-temporada da F1 após sofrer um acidente enquanto andava de bicicleta. Stroll teve de operar o punho, foi substituído pelo brasileiro Felipe Drugovich durante os dias de testes no Bahrein, mas conseguiu ficar em forma a tempo para disputar a primeira corrida da temporada.

Lance Stroll enfrentou pressão e foi muito criticado, disse o chefe da Aston Martin (Foto: Rodrigo Berton/Warm Up)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Nas últimas etapas do Mundial, o dono do carro #18 ainda foi capaz de dois bons resultados: um quinto lugar no GP de São Paulo, e outro em Las Vegas, o que serviu para tornar o grupo mais forte, de acordo com o dirigente.

“Fiquei muito feliz por termos conseguido a recuperação. Houve muita conversa ao longo dos meses e semanas, e o que eu realmente admiro é que nós, como equipe, incluindo Lance, sempre seguimos nossos princípios, trabalhamos duro, trabalhamos juntos e acreditamos uns nos outros”, destacou Mike.

“E isso me deixa muito orgulhoso da equipe. Toda a pressão realmente recaiu sobre Lance. E o fato de ele ter conseguido fazer isso da maneira que fez com a equipe, acho que nos tornou muito mais fortes para o futuro.”

O dirigente ainda comentou sobre a relação entre seus pilotos: “Assim como a equipe, o Lance aprendeu muito com o Fernando. E eu também acho que quando você lida com situações difíceis, você sempre olha para o que seu companheiro de equipe está fazendo, como ele age ou se comporta.”

Olhando para 2024, Krack acredita que a Aston Martin precisa continuar no mesmo caminho, sem arriscar em grandes mudanças. “Todos aprendemos muito. Não tentamos inventar as coisas, realmente nos apegamos aos nossos dados, nos apegamos à análise e trabalhamos a partir daí.”

A Aston Martin marcou para o dia 12 de fevereiro a apresentação do carro para a temporada 2024 da F1.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.