Audi se junta a montadoras e participa de reunião da FIA sobre motores da F1 a partir de 2021

A Audi irá se juntar à F1 - mas apenas para uma reunião. A marca alemã foi uma das convidadas para a reunião convocada pela FIA - e que será realizada na França - para tratar da geração de motores da F1 que tomará conta a partir de 2021. Stefano Domenicali, chefe da Lamborghini - braço do Grupo Volkswagen, como a Audi - será o representante

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Os motores da F1 serão discutidos pela FIA numa reunião a ser realizada em Paris na próxima sexta-feira, 31 de março. Os convidados serão, como esperado, as fabricantes de unidade de força do Mundial: Mercedes, Honda, Renault e Ferrari. Mas não apenas elas. A maior surpresa entre as marcas que receberam convite? A Audi. E será Stefano Domenicali a sentar na mesa representando a marca alemã.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
A informação é do site alemão 'Motorsport-Total.com'. A reunião dará conta não dos motores atuais, os V6 Turbo, que, a despeito de empurrarem os carros da F1 há quatro anos, ainda não convenceram todo mundo. Mas dos motores que serão adotados a partir da temporada 2021. E, para tanto, a FIA fez convites. Além da Audi, segundo o jornal espanhol 'AS', outra fábrica japonesa e um possível fornecedor privado também estão entre os chamados, embora os nomes sigam em sigilo.

 
"Não estarão apenas os fabricantes que atualmente participam da F1", afirmou o diretor-executivo da Mercedes, Toto Wolff, em entrevista ao site. O que o 'Motorsport-Total' garante é que não se trata de uma discussão sobre a entrada das marcas na F1.
 
"A F1 deve estar alinhada com os desenvolvimentos tecnológicos e ser sustentável. Hoje os motores são sofisticados demais", afirmou Jean Todt falando sobre a reunião. O diretor-esportivo da F1, Ross Brawn, foi numa direção semelhante. "São uma grande obra de engenharia, com certeza, mas caros demais e complicados", encerrou.
Calma, Stefano Domenicali (Foto: Getty Images)
A Audi é parte do Grupo Volkswagen e, portanto, não tem uma entrada da F1 como prioridade no momento. Especialmente pelo fato do escândalo 'Dielselgate', revelado em 2015 e que criou grandes prejuízos econômicos para si – muito por conta disso deixou o WEC, o WTCC e diminuiu participação no DTM.

Não quer, porém, 'largar o osso' de ter informações importantes quanto as tendências da competição e do mercado automobilístico. Especialmente caso a F1 entre num caminho de um motor com tecnologia mais capaz de ser utilizada na produção para as ruas. 

 
Como o diretor-esportivo da Audi, Dieter Gass, estará acompanhando o eP da Cidade do México da F-E durante o fim de semana, Domenicali foi o escolhido para a reunião. Ex-chefe da Ferrari, Domenicali é atualmente o chefe da Lamborghini – outra marca pertencente ao Grupo Volkswagen. 
 
Experiente na F1, Domenicali foi contratado pela Audi em 2014 para liderar o estudo para um possível programa da marca na F1. Quando o Grupo VW desistiu, Domenicali foi colocado à frente da Lamborghini, onde está desde então.

 

DEBATE QUENTE SOBRE AS ESTREIAS DE F1 E MOTOGP. ASSISTA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube