Leclerc volta a brilhar aos sábados e conquista pole do GP da França de Fórmula 1

De novo ele: sete vezes Charles Leclerc! O monegasco da Ferrari foi rápido novamente e superou Max Verstappen para ser pole em Paul Ricard

TUDO SOBRE O SÁBADO DE CLASSIFICAÇÃO DO GP DA FRANÇA DE F1 | Briefing

A Fórmula 1 foi para a pista de Paul Ricard, no fim da manhã brasileira deste sábado (23), sem qualquer trégua do sol para definir o grid de largada para o GP da França. A temperatura da pista estava em 55°C em meio a onda de calor que tem feito a Europa central sofrer neste mês de julho – fruto importante, mais um deles, das mudanças climáticas causadas pelo homem. Na pista, o que se viu foi muito cuidado com os pneus: acabar com a borracha era tarefa fácil neste clima. Em meio a balancear a velocidade de voltas lançadas com o controle dos pneus, a Ferrari se lançou à frente da Red Bull. Charles Leclerc voou e conquistou a sétima pole-position dele na temporada 2022.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Leclerc não vinha tendo fim de semana tão brilhante assim até este momento. Mas, na classificação, cresceu. Liderou o Q1 e ficou atrás somente do companheiro no Q2. Embora Carlos Sainz indicasse ter entendido a pista melhor que Leclerc, tinha punição séria e largaria mesmo em 19º. Desta maneira, aproveitou para dar o vácuo ao companheiro na volta final e ajudou a equipe a ficar com mais uma pole.

A ajuda foi primordial, é bom que seja dito. Verstappen fez volta maravilhosa na última tentativa, o segundo melhor tempo do fim de semana, mas ainda assim terminou 0s304 atrás do monegasco. Leclerc, com a ajuda de Sainz, atingiu 1min30s872.

Fora da primeira fila, Sergio Pérez terá a companhia de Lewis Hamilton logo atrás, seguidos por Lando Norris e George Russell, Fernando Alonso e Yuki Tsunoda. Sainz e Kevin Magnussen foram ao Q3, mas estão punidos e, por isso, largam apenas nas duas últimas colocações. O top-10 fica concluído por Daniel Ricciardo e Esteban Ocon.

O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL todas as atividades do fim de semana do GP da França. No domingo, a largada está marcada para as 10h (de Brasília, GMT-3).

Charles Leclerc sai na pole pela sétima vez no ano (Foto: Ferrari)
Paddockast #157: O balanço do desempenho de cada piloto na metade da F1 2022

Confira com foi a classificação:

Q1 – Leclerc na ponta e Gasly é surpreendentemente eliminado

Para quem esperava ver uma pista menos quente na classificação que no TL3, por conta do horário mais perto do fim da tarde francesa, uma surpresa negativa: 55°C era a temperatura do asfalto no momento em que a bandeira verde foi sinalizada para abrir a tomada de tempos em Paul Ricard.

Lance Stroll liderou a fila de carros e deu a partida oficial na definição do grid de largada. Rapidamente, a pista encheu e todo mundo tentava se encontrar de pneus macios. Sobretudo num calor como este, onde errar um jogo de pneus significa perder a borracha, ninguém estava disposto a arriscar. As voltas de instalação eram extremamente lentas para não sacrificar os pneus C4, macios da semana.

A primeira volta cronometrada veio com Pierre Gasly, mas Charles Leclerc já surgiu arrepiando e colocou 1min31s727 no relógio. Mais que o suficiente para classificar a Ferrari para o Q2 e, além disso, 0s162 melhor que o que Max Verstappen apresentou na sequência.

Verstappen estava mais preocupado com Sergio Pérez, reclamando do tráfego causado pelo companheiro. “O que Checo está fazendo, cara?”, questionou no rádio. Hamilton também pegou tráfego pela frente, com a Alpine de Esteban Ocon, e não gostou muito, não.

Punido pela troca de quatro componentes do motor, Kevin Magnussen seria 19º ou 20º colocado – só evitaria o último lugar na improvável possibilidade de bater o também punido Carlos Sainz. Sendo assim, o dinamarquês evitava gastar pneus e não saía dos boxes após dez minutos de TL1. Sainz também demorou, mas àquela altura já tinha tempo.

Guanyu Zhou caiu no Q1 (Foto: Alfa Romeo)

A briga pela eliminação começava a esquentar entre Alfa Romeo, Aston Martin, Williams, Haas e AlphaTauri. Mas Magnussen, quando finalmente apareceu, foi bem rápido e pulou para a sexta colocação. Alexander Albon vinha em bom giro também quando rodou sozinho, causou uma bandeira amarela localizada e perdeu a última chance de melhorar tempo. Estava entre os classificados, mas agora teria de contar com a sorte.

A rodada de Albon atrapalhou quem vinha naquele setor da pista: Lewis Hamilton e George Russell. Estes, no entanto, estavam mais que garantidos no Q2.

Na hora da decisão, Mick Schumacher voou e pulou para o décimo lugar. A comemoração durou só instantes, porque a direção de prova entender que o alemão desrespeitou os limites da pista na curva três e deletou o tempo. Assim, o que era top-10 duplo da Haas virou eliminação de Schumacher no Q1.

Schumacher ficou com o 19º posto e melhor somente que Nicholas Latifi. Pierre Gasly, bem nos treinos livres, foi eliminação surpreendente com a 16ª posição – Yuki Tsunoda, o companheiro, foi 13º. Lance Stroll e Guanyu Zhou, nesta ordem, ficaram entre Gasly e Schumacher. Daniel Ricciardo foi 15º e escapou por pouco. A Haas pediu para os comissários reconsiderarem, mas nada feito. A diferença entre o 12º e o 17º colocados foi de menos de 0s1.

Leclerc fechou como o mais rápido mesmo, mas ainda cobrou a Ferrari. Discordou do fato de ter recebido a ordem de dar mais uma volta rápida após o 1min31s7. Uma lembrança de que todos os eliminados do Q1 ganham duas posições no grid por conta das punições a Sainz e Magnussen.

Mick Schumacher quase passou, mas era ilusão (Foto: Haas F1 Team)

LEIA MAIS
+ As corridas do fim de semana na TV e no streaming: 22 a 24 de julho

Q2 – Punidos? Sainz lidera e Magnussen avança ao Q3

O Q2 demorou um pouco para começar por conta da reclamação da Haas e da subsequente revisão dos comissários, mas nada mudou. Com tudo ok, a Mercedes mandou sua dupla para a pista. Hamilton e Russell usaram pneus macios já usados para testar a situação inicialmente e logo tomaram 0s5 de diferença de Lando Norris.

Depois disso, a normalidade passou a ser estabelecida. Pérez andou em 1min32s1 e, em seguida, Verstappen voltou para casa de 1min31s9. Leclerc foi mais lento que os rivais desta feita, mas Sainz passou em incríveis 1min31s0 e assumiu a dianteira por 0s9. Provavelmente o suficiente para classificar ao Q3 com punição e tudo.

Enquanto a Mercedes seguia sem aparecer com pneus novos, Russell caía na zona de eliminação e era superado por Sebastian Vettel, que aparentava tirar muito da Aston Martin ao colocar no carro verde no decimo posto. Ocon, Albon e Tsunoda eram os três outros na zona de eliminação conforme o fim do Q2 se aproximava.

Quem ia bem era Valtteri Bottas. Enquanto Zhou caíra com muitas dificuldades no Q1, o finlandês brigava bravamente para conseguir ir ao Q3. Ainda faltava muita gente andar, porém. Russell apareceu de pneus novos e entrou no top-10, mas Hamilton demorou mais e chegou a cair para o 13º posto. Mas se recuperou e foi a quinto.

Foi Tsunoda quem acabou sendo o piloto classificado ao Q3 enquanto o companheiro fora eliminado no Q1. Na última tentativa, pulou para o décimo lugar. Junto a Sainz, Leclerc, Verstappen, Pérez, Hamilton, Fernando Alonso, Russell, Magnussen e Norris estava classificado. Ricciardo, Ocon, Bottas, Vettel e Albon foram eliminados.

Leclerc fez uma volta voadora no fim para superar as Red Bull, que já haviam recolhido aos boxes. Como os dois punidos avançaram de novo, todos os eliminados do Q2 também ganham duas posições no grid de largada oficial.

Sebastian Vettel fez o que deu, mas foi eliminado no Q2 (Foto: Aston Martin)

Q3 – Leclerc sobra contra Verstappen e conquista pole

A primeira rodada de voltas rápidas começou imediatamente assim que o Q3 começou, porque Sainz foi quem tomou a pista logo de cara. O espanhol tirou o pé na fase final do giro e desistiu, enquanto Pérez foi para 1min31s6.

Apesar do bom começo do mexicano, Leclerc arrasou quarteirão ao anotar 1min31s209. Excelente, sim, mas quase sem margem de vantagem: Verstappen foi somente 0s008 mais lento. Russell pintou em quarto, com Hamilton em quinto e Norris, Alonso e Tsunoda na sequência. Sainz e Magnussen não tinham volta.

Enquanto Pérez e Verstappen pensavam em seus tempos, a Ferrari soltou Sainz imediatamente na frente de Leclerc para a tentativa derradeira – e de pneus usados. Um indicativo de que o espanhol trabalharia para ceder vácuo ao monegasco na busca pela pole.

Carlos Sainz foi fundamental na briga pela pole ao ceder vácuo a Charles Leclerc (Foto: Ferrari)

Estava na cara que era isso e isso foi. Leclerc fez um setor inicial melhor que o da volta anterior e aproveitou para pegar o vácuo de Sainz no setor intermediário. Deu certo. Na hora de completar a volta, 1min30s872. “Grande Carlos!”, agradeceu no rádio da Ferrari.

Verstappen também foi muito veloz, mas sem o vácuo nem se aproximou: ficou em 1min31s176 e 0s304 mais lento. Pérez foi mesmo terceiro, seguido por Hamilton e Norris, na frente de Russell. Alonso e Tsunoda ficaram nas posições sete e oito. Sainz e Magnussen sequer completaram volta rápida e, apesar da participação no Q3, largam em 19º e 20º por conta das trocas que Ferrari e Haas fizeram no motor de seus carros.

F1 2022, GP da França, Paul Ricard, Classificação:

1C LECLERCFerrari1:30.872  
2M VERSTAPPENRed Bull Honda1:31.176+0,304 
3S PÉREZRed Bull Honda1:31.335+0,463 
4L HAMILTONMercedes1:31.765+0,893 
5L NORRISMcLaren Mercedes1:32.032+1,160 
6G RUSSELLMercedes1:32.131+1,259 
7F ALONSOAlpine1:32.552+1,680 
8Y TSUNODAAlphaTauri Honda1:32.780+1,908 
9D RICCIARDOMcLaren Mercedes1:32.922+2,050 
10E OCONAlpine1:33.048+2,176 
11V BOTTASAlfa Romeo Ferrari1:33.052+2,180 
12S VETTELAston Martin Mercedes1:33.276+2,404 
13A ALBONWilliams Mercedes1:33.307+2,435 
14P GASLYAlphaTauri Honda1:33.439+2,567 
15L STROLLAston Martin Mercedes1:33.439+2,567 
16G ZHOUAlfa Romeo Ferrari1:33.674+2,802 
17M SCHUMACHERHaas Ferrari1:33.701+2,829 
18N LATIFIWilliams Mercedes1:33.794+2,922 
19C SAINZFerrari  P + 20
20K MAGNUSSENHaas Ferrari  P + 20
  Tempo 107%1:37,233+6,361 
GASLY VAI VER BONDE PASSAR COM MAIS UM ANO NA ALPHATAURI EM QUEDA?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar