Chefe da Mercedes admite “sorte” e fala em levar lições de Singapura para corridas finais: “Temos de dar nosso melhor”

Toto Wolff sabe que a vitória de Lewis Hamilton em Singapura teve pitada de sorte, graças ao acidente que tirou Sebastian Vettel da prova logo no começo. Para o futuro da temporada, então, ele deseja que o "aprendizado" adquirido facilite o trabalho da equipe

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Quando Sebastisan Vettel, Kimi Räikkönen e Max Verstappen abandonaram o GP de singapura logo na primeira curva e a vitória "caiu no colo" de Lewis Hamilton, a Mercedes soube aproveitar o momento – não só para pontuar e para ver seu piloto abrir vantagem da liderança do campeonato, mas também para aprender. É isso que pensa Toto Wolff, chefe da equipe, que quer que o aprendizado adquirido seja levado para as etapas finais da temporada.

Para ele, a corrida em Singapura deu lições à equipe que devem ser seguidas nas seis corridas finais – começando já em Sepang, no próximo final de semana.

Lewis Hamilton e Toto Wolff (Foto: Reprodução)

"Aprofundamos nossa compreensão dos problemas que temos, como nossa falta de força nos treinos livres e as falhas na classificação, e levaremos este aprendizado para as corridas finais. A prova em Singapura foi uma boa lembrança de que o esporte sempre tem surpresas e desafia o lógico. Já estivemos do lado azarado antes e sabemos que isso pode afetar a todos", disse Wolff.

"O resultado em Singapura não muda nada em termos de abordagem às últimas seis corridas, começando já na Malásia. Temos que dar nosso máximo em cada pista para manter essa vantagem tanto no Mundial de Pilotos como no de construtores até o final", continuou.

Wolff não vê a Mercedes como favorita para a prova na Malásia, como não via em Singapura: "Nossos resultados lá têm variado nos últimos anos, mas acho que nosso carro é o ideal para o circuito, graças às curvas rápidas e às retas longas."

Sobre a possibilidade de chuva para a corrida do próximo domingo, o chefe da equipe líder do Mundial de Construtores a vê como um perigo: "As condições metereológicas são um problema para os carros, para os pneus, pilotos e para os mecânicos, pode complicar tudo. Termos um carro confial será crucial na briga", finalizou.

’SOLDADINHO’ DA PENSKE?

CASTRONEVES TEM FALTA DE TÍTULO COMO MANCHA NA CARREIRA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube