Chefe da Mercedes diz que “perdeu o respeito para sempre” por personagens da F1

Toto Wolff, chefe da Mercedes, deixou claro que leva desonestidade para o lado pessoal mesmo após tantos anos na Fórmula 1

Claudia Hürtgen sofreu um acidente assustador durante a classificação da Extreme E na Arábia Saudita (Vídeo: Extreme E)

Conseguir comandar uma equipe de sequência histórica de vitórias e títulos não acontece sem certas mágoas num ambiente competitivo como o da Fórmula 1. É o que deixa claro o chefe da Mercedes, Toto Wolff, ao revelar que há um grupo de pessoas nos bastidores da F1 por quem já não nutre nenhum respeito. Tudo isso porque, Wolff admite, leva algumas coisas para o coração.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GP do Bahrein mostra que é preciso ser perfeito para derrotar Mercedes na F1

De acordo com o austríaco, ele leva mesmo situações de bastidores para o lado pessoal e sabe quem é quem no paddock da Fórmula 1. Wolff não tratou exatamente quem são essas pessoas, mas falou em desonestidade e viés claro de ações contra a Mercedes.

“Sim”, respondeu sobre levar desonestidade para o lado pessoal. “Sou apaixonado pelo esporte e seus valores. É uma competição que deveria ser tocada sempre com justiça. Há aqueles que perderam meu respeito para sempre nos últimos anos, não por um incidente particular, e outros que eu vejo através de seu comportamento manipulador e maquiavélico amador. Vejo os sorrisos que têm ódio ou negatividade contra nós”, afirmou em entrevista ao site inglês The Race.

LEWIS HAMILTON; MERCEDES; GP DO BAHREIN; FÓRMULA 1; F1
A Mercedes quer integridade (Foto: Mercedes)

É difícil, ao ver Wolff falar em desonestidade, não lembrar do motor adulterado que a Ferrari levou à pista em 2019 e que rendeu um acordo particular com a FIA que impôs um 2020 desastroso aos italianos.

“Tem gente na indústria que eu respeito demais, tenho amizade com eles. Tentam fazer o melhor para o esporte, enquanto conseguem manter uma posição neutra para todas as equipes”, seguiu.

Segundo Wolff, levar para o pessoal é um ato de proteger os funcionários da Mercedes a quem tem apenas elogios sobre integridade.

“Não pedem ninguém para que sejam enviesados a favor da Mercedes, apenas para que façam o melhor pelo esporte, porque todos nos beneficiamos de um esporte forte. Dividimos receitas, então o melhor para o show é o melhor para o esporte. É por isso, de certa maneira, que levo para o pessoal, porque quero proteger a organização”, falou.

“Por outro lado, é muito interessante para mim fazer um estudo de caso dos indivíduos que estão pelo paddock. Falam sobre a F1 como se fosse um tanque de tubarões, sendo que a maior parte deles são peixinhos de aquários que acreditam ser tubarões. Há alguns bebês de tubarão também”, finalizou.

A Mercedes ganhou todos os títulos desde 2014 e, apesar de ver uma Red Bull forte para o começo de 2021, foi ela própria, com Lewis Hamilton, que venceu o GP do Bahrein que abriu a Fórmula 1.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar