F1

Com alto teor de sorte, Hamilton comemora vitória em “melhor corrida possível” em Interlagos

Lewis Hamilton ficou com a vitória apesar de não ter sido o mais rápido na pista. Mas tirou tudo que o carro tinha e contou com um enorme azar de Max Verstappen, atrapalhado gravemente por Esteban Ocon quando liderava a corrida. Assim, Lewis volta a vencer em seu calcanhar de Aquiles
Warm Up, de São Paulo / PEDRO HENRIQUE MARUM, de Interlagos
 Lewis Hamilton (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Lewis Hamilton enfim voltou a sorrir no GP do Brasil, prova que ele jura tanto gostar mas que em que não tem se dado nada bem. Neste domingo (11), até contou com uma ajuda de Esteban Ocon para recuperar caminho contra Max Verstappen. Com a liderança reconquistada, até viu o holandês ameaçar novamente, mas segurou a vitória. Foi a 72ª da carreira na F1 e a décima na temporada 2018.
 
Hamilton partiu na pole, mas desde cedo ficou claro que o melhor ritmo de corrida entre as três principais equipes da F1 era o da Red Bull. Max Verstappen engoliu Kimi Räikkönen, Sebastian Vettel e Valtteri Bottas e encostou em Hamilton já depois da parada nos boxes.
 
Com uma voracidade assustadora levando em conta a diferença os motores, Verstappen ultrapassou Hamilton e parecia certo que venceria. Mas não era tão certo. No caminho, Verstappen viu chegar perto de si o rival dos tempos de F3 Euro, Esteban Ocon, de carro rápido e pneus novos. O francês tentou voltar para a volta do líder, mas o que conseguiu foi bater no líder da corrida. 
Lewis Hamilton (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Hamilton recuperou a dianteira no meio disso e não deixou fugir. Verstappen até ameaçou no fim, mas Lewis mais controlava do que se deixava assustar. O calcanhar de Aquiles de sua carreira foi desativado, ao menos por esse ano. 

"Os caras trabalharam duro nos últimos seis anos. Essa vitória do título é para eles. Foi a melhor corrida que poderíamos ter. Eu não sei o que aconteceu com Verstappen, se ele errou. Eu sabia que ele ainda tentaria se recuperar, ele é cara que ataca e nunca desiste. Mas eu resisti", afirmou.

A dedicatória tem motivo: com os pontos do Brasil, a Mercedes é pentacampeã mundial de Construtores.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.