F1

Com Räikkönen de ultramacios, Ferrari encerra 1ª semana de testes na ponta em Barcelona. McLaren quebra e pouco anda

A Ferrari ditou o ritmo na primeira semana de testes coletivos da F1 na Espanha, liderando três dos quatro dias de atividades em Barcelona. E, nesta quinta-feira (25), Kimi Räikkönen fez valer o pneus ultramacios da Pirelli para cravar o melhor tempo da sessão. Felipe Nasr terminou em sexto, enquanto Felipe Massa foi o nono
Warm Up / Redação GP, de Curitiba
 Kimi Räikkönen (Foto: Getty Images)

A Ferrari voltou a encabeçar a tabela de tempos da F1 em Barcelona. Em um dia marcado por problemas da McLaren e um acidente com o novato Rio Haryanto, da Manor, a equipe vermelha se manteve no comandou das atividades na Catalunha, na última sessão da primeira semana dos testes coletivos da pré-temporada 2016. E, nesta quinta-feira (25), Kimi Räikkönen foi quem conduziu novamente a nova SF16-H e, mais uma vez, teve o complemento da programação ferrarista comprometido devido a uma falha mecânica.
 
Räikkönen iniciou os trabalhos de maneira cautelosa, ainda usando os pneus médios e fazendo longos stints. Já perto do fim da manhã, o time italiano decidiu mandar o nórdico à pista com os compostos macios e aí a liderança veio facilmente. Mas ainda não era o bastante. Kimi queria andar também com os ultramacios.
 
Com a Ferrari equipada com os compostos ‘roxos’, o campeão de 2007 pulverizou sua própria marca e se estabeleceu de vez na ponta da classificação em Montmeló. 
Kimi Räikkönen liderou o dia em Barcelona (Foto: Getty Images)
Räikkönen virou 1min23s477 pouco antes da pausa do almoço, depois de completar 58 voltas. Interessante perceber que o tempo registrado por Kimi foi 0s6 mais lento que o de Sebastian Vettel, na terça-feira, quando o alemão também andou com os ultramacios. Só que a marca do tetracampeão foi somente 0s3 mais veloz que a de Nico Hülkenberg, registrada na quarta, com os compostos supermacios.
 
Voltando ao treino, então, o período vespertino, porém, foi menos trabalhoso para o dono do carro #7. Por conta de um problema no radiador, Räikkönen ficou boa parte da tarde nas garagens e só foi capaz de retomar os trabalhos na hora final das atividades. Mesmo assim, manteve a liderança na folha de tempos. O ferrarista guiou por mais 22 voltas, mas usando os compostos macios.
 
De novo a bordo do RB12, Daniil Kvyat colocou a Red Bull na segunda posição da tabela. Assim como o piloto da Ferrari, o jovem russo pulou para frente ajudado pelos rápidos pneus ultramacios. Foi o primeiro contato de Kvyat com os novos compostos da Pirelli. Só que a diferença para os rivais italianos ficou mesmo em 0s816. 
 
Ainda assim, Daniil conseguiu apresentar um ritmo bastante decente durante todo o dia – alternando também stints com pneus médios, macios e supermacios e completando 96 voltas. O foco, claro, esteve também na confiabilidade.

A Force India escalou novamente o piloto de desenvolvimento Alfonso Celis para andar nesta quinta. E, uma vez mais, a equipe indiana surpreendeu, mostrando consistência e velocidade. O jovem ainda subiu na tabela na parte final do dia, quando deixou os boxes com os pneus supermacios e virou 1min24s840, para saltar para uma expressiva terceira colocação da tabela. 
 
Kevin Magnunssen e a Renault tiveram mais um dia produtivo nesta quinta-feira em Barcelona. O dinamarquês permaneceu na segunda colocação por boa parte da sessão, mas acabou sendo superado por Kvyat, que andou muito com os ultramacios à tarde, e Celis, que saiu com os compostos vermelhos no fim. O melhor tempo de Magnussen veio em cima dos macios ainda pela manhã, o que o garantiu no top-4. 
 
Mas a prioridade dos franceses hoje foi a confiabilidade também. O R.S.16 parece ter um chassi bastante honesto, mas o problema mesmo está no motor e na crônica falta de potência. De qualquer forma, o jovem ultrapassou a marca de 150 voltas e não sofreu contratempos graves, apenas uma falha nos minutos finais da sessão causou a última bandeira vermelha do dia. 

Max Verstappen surgiu logo atrás, em quinto com a Toro Rosso. O jovem holandês de novo dedicou o dia à quilometragem com o STR11 e percorreu ao todo 110 giros, sendo que seu melhor tempo foi 1s9 mais lento que o líder, só que em cima dos pneus médios da Pirelli. Felipe Nasr, mais uma vez andando com o C34 de 2015, cumpriu um extenso programa técnico com a Sauber. O brasileiro fechou o dia com a sexta colocação, com a marca de 1min26s053, registrada usando os compostos macios desta vez.

A Mercedes de novo dividiu os trabalhos do dia entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton. O inglês foi quem abriu as ações pela manhã. Como já parece praxe, a equipe alemã não se preocupou com o tempo de volta e focou apenas na avaliação de componentes, como o novo bico e a asa dianteira, além, é claro, da confiabilidade. O tricampeão andou por 99 voltas no horário matutino e virou na melhor delas 1min26s295, devidamente calçado com os pneus médios.
Alfonso Celis teve mais uma chance na Force India (Foto: Force India)
Rosberg assumiu o W07 logo depois do almoço e apenas deu continuidade ao trabalho feito por Hamilton. A Mercedes não sofreu qualquer contratempo hoje e usou bem as horas vespertinas para ampliar a quilometragem de seu novo carro. O vice-campeão de 2015 terminou o dia em sétimo, uma posição melhor que o companheiro de equipe - só um décimo separou a dupla. E assim como Lewis, Nico também apenas andou com os pneus de risca branca. Aliás, os atuais campeões em nenhum momento usaram os compostos mais macios da Pirelli nesta primeira semana de treinos.

Felipe Massa voltou ao cockpit da Williams neste último dia de testes e andou por 53 voltas, melhorando suas marcas à tarde, quando andou com os pneus macios. O brasileiro fechou a sessão em nono, logo à frente de Esteban Gutiérrez da Haas. A equipe norte-americana, aliás, foi bastante constante ao longo do dia, percorrendo com o mexicano 88 voltas, apesar da pane sofrida quando restava pouco mais de duas horas para o fim dos trabalhos. O piloto do carro #21 se viu parado na curva 5, mas pode retomar as atividades.
 
Quem não pode voltar foi o estreante Rio Haryanto. De novo no comando da Manor, o piloto da Indonésia sofreu um acidente durante a sessão da tarde. Ele escapou da pista na curva 4 e por lá ficou, encerrando os trabalhos do time novato. Outra decepção também foi a McLaren.
 
Fernando Alonso pouco pode trabalhar neste dia final. Um vazamento no sistema de refrigeração do motor Honda acabou com as esperanças de um teste decente hoje. O espanhol foi capaz de percorrer apenas três voltas pela manhã e sequer registrou tempo. Fica para a semana que vem, quando a F1 retorna a Barcelona para a segunda e última semana de treinos da pré-temporada.

F1, testes coletivos, Barcelona, dia 4:

1 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:23.477   80
2 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 1:24.293 +0.816 96
3 11 ALFONSO CELIS MEX FORCE INDIA MERCEDES 1:24.840 +1.363 75
4 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT 1:25.263 +1.786 153
5 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO FERRARI 1:25.393 +1.916 110
6 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 1:26.053 +2.576 121
7 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:26.187 +2.710 86
8 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:26.295 +2.818 99
9 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:26.483 +3.006 54
10 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX HAAS FERRARI 1:27.802 +4.325 89
11 88 RIO HARYANTO INA MANOR MERCEDES 1:28.266 +4.789 51
12 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA     3

Os pneus são...
ultramacios | supermacios | macios | médios | duros
VEJA A EDIÇÃO #17 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA A F1 E A MOTOGP