Di Resta vê vantagem para Force India em crise da McLaren, mas prega respeito: “Estão trabalhando”

O escocês afirmou que o trabalho feito pela equipe está muito bom e confia que pode ir bem nos GPs da Malásia e do Bahrein, próximas provas do calendário

As informações do GP da Malásia em tempo real
Especial F1 2013, a temporada imprevisível
A volta virtual em Sepang, narrada por Massa
As imagens desta quinta-feira na Malásia

O bom início de temporada da Force India no GP da Austrália animou Paul di Resta. Oitavo colocado na prova inaugural da temporada, o escocês afirmou que a equipe tem condições de disputar a quinta colocação no Mundial de Construtores, que ficou com a Mercedes no campeonato disputado em 2012.

“Certamente gostaria de ter essa esperança disso [de a Force India ser quinta colocada]. Viemos mais forte do que nos últimos anos e aqui [em Sepang] e no Bahrein foram muito bons para nós ano passado”, disse o piloto, que ficou na oitava posição na abertura do campeonato, em Melbourne.

Di Resta gostou do aproveitamento da Force India na Austrália (Foto: Force India)

“Tendo feito o que fizemos em Melbourne, estamos no caminho certo para continuar isso e tentar trabalhar para ficar em sexto, sétimo ou oitavo [na corrida], quando estivemos em Melbourne”, continuou Di Resta.

Falando dos rivais, o escocês acredita que Sauber estará forte na disputa pela posição. E ele acredita que a McLaren vai evoluir bastante ao longo do campeonato, por isso é fundamental para a Force India trabalhar forte para somar o maior número possível de pontos neste início de temporada.

“Dado o momento que a McLaren passa, isso é uma vantagem para nós. Você tem que respeitar [a McLaren] porque eles estão trabalhando para ser rápidos novamente”, explicou. “O desconhecido para nós é a Sauber, porque não sabemos seu real desempenho na corrida [Nico Hülkenberg não participou da prova]. A partir das sessões [de treinos], parecíamos ter vantagem sobre eles, mas isso não quer dizer que, na corrida, não teria impondo certa dificuldade”, finalizou.

Siga o Grande Prêmio no Twitter
Ayrton Senna, 53 anos

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube