Em Monza, Button diz que ritmo de classificação será crucial para McLaren. Boullier prevê outro fim de semana difícil

A McLaren segue para o mais lendário circuito do calendário do Mundial de F1 com uma expectativa realista, ou seja, de enfrentar mais um fim de semana difícil numa pista com características que não se adequam ao MP4-30 empurrado pelo motor Honda

Em 1988, a McLaren Honda, no auge do seu domínio na F1, perdeu em Monza a sua única corrida naquele ano, que acabou coroando Ayrton Senna como campeão do mundo. 27 anos depois, no campeonato que marcou a retomada de uma parceria vitoriosa, a McLaren seguirá para o mítico circuito italiano com uma expectativa bem diferente daquele fim de década de 1980. O objetivo maior é chegar ao fim com seus dois carros e, se possível, pontuar. Mas já se sabe que o próximo fim de semana será dos mais difíceis.

Jenson Button não tem grandes expectativas sobre o que a McLaren poderá entregar no GP da Itália, no domingo. Por isso, entende que o ritmo de classificação é a grande chave para, ao menos, a equipe conseguir ser um pouco mais competitiva ao longo da mais rápida prova do calendário da temporada.

Jenson Button não tem grandes expectativas para o GP da Itália, no fim de semana (Foto: AP)

Fato é que, como Spa-Francorchamps, Monza é um circuito predominado por grandes retas, e isso impõe um desafio a mais para o pacote MP4-30, muito longe de ser o melhor conjunto neste tipo de traçado. O motor Honda, carente de potência — embora Yasuhisa Arai entenda que a unidade de força japonesa já está 25 cv mais potente em relação à Renault —, também não deve encontrar o melhor desempenho em Monza.

“A chave para nós será tirar o máximo do carro no sábado e dar a nós uma chance de lutar de forma competitiva na tarde de domingo”, declarou Button na prévia divulgada pela McLaren nesta terça-feira (1).

“Apesar dos problemas, o carro se mostrou bem equilibrado em Spa, e me senti confortável para guia-lo, particularmente na classificação, por isso vamos procurar aproveitar ao máximo em Monza, antes de irmos para os circuitos que vão se adequar aos pontos fortes do nosso carro”, declarou o piloto, na expectativa para o GP de Cingapura, em Marina Bay, circuito com características opostas ao de Monza.

Éric Boullier falou sobre os objetivos da McLaren para o fim de semana que se avizinha. “Levando em conta as características de Monza, é outra pista de alta velocidade e baixo downforce, e representa um desafio único com suas longas retas e frenagens fortes. Por este motivo, nós esperamos que esta corrida seja bem difícil para nós, de forma semelhante ao que foi em Spa.”

“Mas nossa meta é terminar a corrida com os dois carros e aprender o máximo possível no fim de semana, antecipando o GP de Cingapura e além, onde esperamos demonstrar um ritmo melhor”, concluiu o engenheiro francês, diretor de corridas da equipe McLaren.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube