Em último no grid, Alonso espera corrida “complicada” e conta com Vandoorne como esperança da McLaren no Japão

Fernando Alonso fez uma classificação quase simbólica em Suzuka. Mesmo indo ao Q3, o espanhol estava condenado a largar em último após trocar diversas peças do motor Honda. Desse jeito, o negócio é apostar as fichas em Stoffel Vandoorne

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }


google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Fernando Alonso começou o treino classificatório deste sábado (7) já sabendo que largaria em último, mas foi atrás de voltas competitivas. O espanhol foi ao Q3 de forma quase simbólica em Suzuka, já que perde 35 posições no grid por trocar peças do motor Honda. Precisando de uma bela recuperação na prova, Alonso já fala antecipa dificuldades.
 
“Íamos largar em último de qualquer jeito, mas queria fazer uma boa classificação aqui, na frente dos fãs da Honda. Tentamos fazer de tudo”, comentou Alonso. “Só deu para fazer o décimo melhor tempo, entramos no Q3 por um fio de cabelo. Isso me deixa feliz, mas a corrida de amanhã vai ser complicada”, ponderou.
 
Desse jeito, a McLaren como um todo precisa confiar em Stoffel Vandoorne. O belga foi eliminado no Q2 por causa de Alonso, mas isso se provou algo positivo – Stoffel, que seria décimo de qualquer jeito, pode largar com pneus novos por não ir ao Q3.
 
“Ele [Vandoorne] vai sair da minha posição, que é décimo. Eu vou para trás, mas ele segue largando com pneus novos. Nossa jogada deu bastante certo”, explicou Alonso.
Fernando Alonso espera que Stoffel Vandoorne aproveite o décimo lugar no grid (Foto: McLaren)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Com pneus novos ou velhos, Alonso e Vandoorne vão ter um problema na corrida. A McLaren – assim como todas as equipes – não sabe ao certo o que esperar do carro em ritmo de corrida.
 
“A verdade é que vamos para a corrida um pouco às cegas”, reconheceu Alonso. “Quase todas as equipes estão na mesma. Como não deu para fazer o TL2, ninguém tem informação da simulação de corrida. Mas conhecemos bem os pneus e seus comportamentos. O difícil vai ser largar atrás de 18 ou 19 carros, tentando mudar estratégias e fazer coisas diferentes para ganhar posições”, encerrou.

A largada do GP do Japão acontece às 2h (de Brasíli) neste domingo. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 no Japão AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.
 

HÁ ESPERANÇA?

MESMO COM RESULTADO RUIM, VETTEL GANHA FORÇA NA MALÁSIA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube