Alonso justifica volta à F1 após 2 anos fora: “Senti que tenho algo a fazer aqui de novo”

Depois de correr novamente as 500 Milhas de Indianápolis, vencer as 24h de Le Mans e Daytona e correr até o Rali Dakar com a Toyota, Fernando Alonso está de volta à F1. O bicampeão do mundo se vê “pilotando melhor do que nunca” e avisa: “Não temo nenhum desafio”

A Fórmula 1 divulgou uma simulação de volta no mais novo circuito de rua da Fórmula 1, Jidá, na Arábia Saudita (Vídeo: Fórmula 1)

Dono de uma legião de fãs no esporte a motor, Fernando Alonso jamais descartou totalmente um regresso à F1. Mesmo depois do que foi sua última corrida na categoria, o GP de Abu Dhabi de 2018, com a McLaren, o piloto não fechou totalmente a porta. Depois daquela despedida, o bicampeão do mundo venceu as 24 Horas de Daytona, repetiu o triunfo nas 24 Horas de Le Mans, fracassou um vez ao tentar entrar no grid de 33 carros das 500 Milhas de Indianápolis e foi um coadjuvante de luxo na edição de 2020 e correu até o Dakar. No meio do ano passado, a Renault (antigo nome da equipe Alpine), anunciou seu regresso ao grid da principal categoria do esporte a motor em 2021.

Desta forma, Fernando, que em julho vai completar 40 anos, volta ao Mundial justamente pela equipe pela qual mais brilhou, sendo campeão do mundo pela organização sediada em Enstone, na Inglaterra, em 2005 e 2006.

Mas o que impulsiona Alonso nesta volta à Fórmula 1, agora muito mais maduro? O piloto deixou claro que se vê no auge da forma. “O principal motivo pelo qual estou aqui ou voltei é porque senti que estava no meu melhor nos últimos dois anos… Senti que estava pilotando melhor do que nunca”, afirmou Fernando em entrevista coletiva realizada no último fim de semana em Sakhir durante a pré-temporada da F1.

FERNANDO ALONSO; FÓRMULA 1; ALPINE; F1 2021;
Fernando Alonso se vê no auge e pilotando melhor do que nunca (Foto: Alpine F1 Team)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

E justamente por se ver no auge, Alonso entende que não faz sentido estar em outra categoria que não fosse a F1. Por isso, aceitou o convite da Renault, hoje Alpine, para substituir Daniel Ricciardo em um novo ciclo, inicialmente de dois anos.

“Tive de decidir qual seria meu próximo desafio depois de Le Mans, Indy, Dakar, tudo o que eu fiz. Achei que, estando no meu melhor agora, talvez a Fórmula 1 fosse o lugar para estar. Vou ter tempo, no futuro, para repensar alguns desafios que não foram concluídos. Isso é o principal. Senti que tenho algo para fazer aqui de novo”, comentou.

FERNANDO ALONSO; FÓRMULA 1; ALPINE; F1 2021;
Fernando Alonso foi um dos bons nomes dos testes de pré-temporada da F1 no Bahrein (Foto: Alpine F1 Team)

Quando questionado sobre a preocupação com o que está por vir, sobretudo depois de ter ficado dois anos fora do grid, Alonso minimizou. “Não temo nenhum desafio em particular. Há algumas coisas que, depois de dois anos fora, terei de reaprender um pouco e me acostumar, mas isso é em termos de abordagem do fim de semana e do trabalho com a equipe”, disse.

“Acho que deve ser bem tranquilo. Não fiquei dois anos em casa, basicamente corria todo fim de semana. Deve correr tudo bem”, complementou Alonso, dono do décimo melhor tempo dos testes de pré-temporada, completando 208 das 396 voltas da equipe francesa em Sakhir.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube