Focado em “garantir um trabalho melhor a cada fim de semana”, Hamilton busca evitar ordens de equipe na Mercedes

Lewis Hamilton falou em trabalhar para que a Mercedes não tenha de lançar mão de ordens de equipe. Britânico lidera a F1 com 28 pontos de vantagem para Sebastian Vettel

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Lewis Hamilton quer conquistar o título da temporada 2017 da F1 sem precisar de ordens de equipe. Com seis provas ainda pela frente, o britânico lidera o Mundial de Pilotos com 28 pontos de vantagem para Sebastian Vettel, o segundo colocado.
 
No GP da Hungria de julho passado, Valtteri Bottas deixou Hamilton passar para tentar atacar Vettel e Kimi Räikkönen, mas, sem sucesso na empreitada, devolveu o terceiro lugar para o companheiro de equipe, ainda que tivesse aberto uma boa diferença em relação ao finlandês.
Lewis Hamilton quer trabalhar para não precisar da ajuda de Valtteri Bottas (Foto: Mercedes)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com 23 pontos de frente para o companheiro de equipe, que ocupa o terceiro posto no Mundial, Hamilton torce para que Hungaroring seja uma exceção.
 
“A Hungria aconteceu no momento certo e acho que do jeito certo”, disse Hamilton. “Valtteri vai tomar sua própria decisão em algum momento, se ele sentir que está fora da disputa, por exemplo”, seguiu.
 
“Minha meta é garantir que não estejamos em uma posição em que eles têm de fazer isso [dar ordens de equipe]”, comentou. “Minha meta é garantir que eu faça um trabalho melhor a cada fim de semana, o que nem sempre é o caso, e Valtteri ficando mais forte com o entendimento do carro”, apontou.
 
Hamilton descartou, porém, que o fato de ter devolvido a posição para Bottas na Hungria tenha criado uma boa relação entre eles.
 
“Valtteri de fato veio até mim depois e disse que não esperava que eu o deixasse passar de volta. E eu fiquei tipo: ‘Merda!’”, contou. “Senti que tomei a decisão certa. Acho que mesmo que tivesse ficado na frente, ele teria entendido. Não acho que ele teria ficado irritado com isso. Eu estava 7s à frente. Se ele estivesse bem atrás de mim, então talvez”, ponderou. 
 
“Isso só poderia ter feito as coisas melhores, mas, se fosse o contrário, poderia ter azedado”, admitiu. “Falam muito da nossa relação, e acho que é só uma relação de trabalho. Valtteri quer me vencer na pista tanto quanto eu quero batê-lo”, apontou.
 
“Não se engane achando que não queremos matar um ao outro lá, mas temos respeito pela habilidade um do outro e de onde viemos, e isso realmente funciona bem para nós”, concluiu.

Também nesta quinta, Bottas admitiu ajudar Hamilton na disputa pelo título, mas não enquanto ainda tiver chances matemáticas de ficar com a taça.

 
O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 na Malásia AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.

#GALERIA(7197)
 
TORO ROSSO DEMOROU DEMAIS

REBAIXAMENTO SEGUIDO DE AFASTAMENTO DE KVYAT É TUDO, MENOS INJUSTO  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube