F1

Gutiérrez recebe rara segunda chance na F1 e finalmente é confirmado como segundo piloto da Haas para 2016

Sem surpresas, a Haas anunciou na noite desta sexta-feira (30), na Cidade do México, que Esteban Gutiérrez formará dupla com Romain Grosjean na temporada de estreia da equipe norte-americana na F1. Para o mexicano, é uma rara segunda chance na categoria depois de correr por dois anos na Sauber, porém sem convencer

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré / VITOR FAZIO, de Porto Alegre / GABRIEL CURTY, de São Paulo
Esteban Gutiérrez está oficialmente de volta ao grid da F1 para a temporada 2016. Nascido em Monterrey, o jovem de 24 anos foi confirmado na noite desta sexta-feira (30), na Cidade do México, como o segundo piloto da debutante norte-americana Haas para o Mundial do ano que vem. O anúncio não chega a ser uma surpresa, uma vez que o time chefiado por Gene Haas e Günther Steiner sempre deixou claro que buscava ter como titular um dos reservas da Ferrari, que será sua fornecedora de motores e parceira técnica. E o anúncio previamente marcado para esta sexta-feira no México, às vésperas da 17ª etapa do Mundial de F1, deixou tudo evidente que seria mesmo Gutiérrez o companheiro de equipe de Romain Grosjean em 2016.
 
Para Esteban, trata-se de uma rara segunda chance que a F1 não costuma oferecer aos seus pilotos. O mexicano surgiu com bom destaque nas categorias de base e foi campeão na F-BMW Europeia, em 2008, e na GP3, em 2010. A partir daquele, Gutiérrez passou a ter ligações mais estreitas com a Sauber, participando de sessões de testes privados com a equipe suíça.
Esteban Gutiérrez, acompanhado de Carlos Slim e Gene Haas (Foto: Reprodução/Twitter)
Sua promoção natural à GP2 ocorreu em 2011. Foram dois anos na categoria que é o último degrau antes da F1. Gutiérrez teve uma performance razoável no primeiro ano e boa em 2012, quando terminou em terceiro lugar e venceu três corridas. No fim de semana do GP do Brasil daquele ano, graças à força do patrocínio das empresas de Carlos Slim, o latino-americano foi confirmado pela Sauber como titular em substituição a Sergio Pérez, que estava de partida para a McLaren. Mas a partir daí, sua jornada no automobilismo foi de muito aprendizado, mas de resultados escassos.
 
Gutiérrez teve como seu primeiro companheiro de equipe o forte Nico Hülkenberg. E o mexicano foi simplesmente esmagado pelo parceiro mais experiente. Tudo o que Esteban conseguiu fazer em termos de resultados foi um sétimo lugar no GP do Japão, que lhe valeu seus únicos pontos na F1. Como prova de que o C32 não era um carro ruim, Hülkenberg somou nada menos que 51 pontos. Já no ano seguinte, tendo ao lado Adrian Sutil como companheiro, Gutiérrez não conseguiu ajudar a tirar a Sauber do zero, um fato inédito na história do time de Hinwil. 
Esteban Gutiérrez é o novo piloto da Haas (Foto: Ferrari)
Uma vez que a Sauber havia fechado com Marcus Ericsson e Felipe Nasr para 2015, Gutiérrez ficou sem opção para correr na F1, mas não desistiu. Novamente graças ao forte patrocínio da Telmex, que neste ano passou a estampar as marcas da Claro e da Telcel nos carros da Ferrari, Slim conseguiu encaixar Esteban como piloto de testes e reserva da lendária equipe. Na verdade, o mexicano poucas vezes teve a chance de testar pra valer os carros de Maranello, trabalhando mais no simulador, e fazendo participações em exibições e filmes publicitários.
 
Na última quinta-feira, Gutiérrez já falava como piloto da Haas e se mostrava esperançoso com os novos tempos em sua carreira. “Este é o caminho que eu estava apostando para meu futuro, para chegar ao topo”, declarou o piloto em entrevista ao jornal mexicano ‘Récord’.

Ao ser anunciado como companheiro de Grosjean na Haas, Gutiérrez fez questão de destacar a confiança no projeto da Haas, que passará a ser realidade em 2016.

“Estou muito contente por poder compartilhar essas notícias. Agradeço muito ao Gene Haas, que acreditou no meu potencial como piloto. Espero poder conquistar coisas grandes com ele, ter uma grande relação e um grande ano. Agradeço também ao Günther, ao Carlos Slim, ao Maurizio Arrivabene, que me deu a chance de fazer parte de sua escuderia por um ano. Acredito que vamos compartilhar êxitos”, afirmou o mexicano, após ser anunciado na escuderia americana.

Seu novo chefe, Gene Haas, também parecia satisfeito como o novo acordo.

"Nos sentimos muito honrados por contar com Esteban. Ele já correu na F1, tem experiência. É bom contar com novas pessoas nesse barco. É uma pessoa recomendada pela Ferrari, equipe que tem uma grande história na F1. Ele é reserva da Ferrari, então acreditamos que ele tem o potencial que precisamos. Contar com um piloto mais velho e outro mais jovem deverá formar uma dupla muito competitiva", explanou Gene.
 
Era notório o desejo da Haas contar com Gutiérrez não apenas pela sua experiência adquirida neste ano pela Ferrari, mas também pelo interesse em contar com os patrocínios de Slim e por ter a chance de entrar de vez no mercado mexicano. Desta forma, a Haas garante não apenas saúde financeira para sua equipe no ano de estreia na F1, mas também consegue encaixar uma dupla formada por um piloto de conhecido talento e experiência a um jovem disposto a deixar para trás os anos ruins na Sauber e focado em mostrar que merece estar novamente no grid da F1.