Haas vê “trabalho fantástico” nos últimos dois anos: “Todos mantiveram a cabeça erguida”

Chefe da equipe americana, Guenther Steiner destacou trabalho interno mesmo em período difícil para o time. Agora, é hora de colher os frutos com o VF-22

FERRARI ESTÁ DE VOLTA E NOVAS REGRAS EMBARALHAM FÓRMULA 1 2022 | Paddock GP #279

Mesmo com somente três pontos conquistados nas últimas duas temporadas somadas da Fórmula 1, o chefe da Haas, Guenther Steiner, afirmou que a equipe americana teve uma performance digna em 2020 e 2021. Agora, de acordo com o italiano, é hora de colher os frutos do bom trabalho executado.

Já na primeira corrida da temporada de 2022 da F1, a Haas mostrou em pista o potencial do VF-22: Kevin Magnussen foi o quinto colocado no GP do Bahrein e, Mick Schumacher, o 11º. Os 10 pontos conquistados no circuito de Sakhir já representam quantia aproximadamente três vezes maior do que nos dois anos passados, juntos.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Guenther Steiner, chefe da Haas, no GP do Bahrein de 2022 (Foto: Haas)

“Um dia muito bom para nós, é bom estar de volta por todo o time”, declarou Steiner, após a etapa no deserto bareinita. “Eles (funcionários) fizeram um trabalho fantástico, não só no Bahrein como nos últimos dois anos”, revelou o chefe da equipe americana.

A Haas passou por poucas e boas durante a pré-temporada da F1 2022. A invasão da Rússia ao território ucraniano e todo conflito subsequente no leste europeu acarretou no fim do vínculo entre a equipe e Nikita Mazepin, além da principal patrocinadora, a Uralkali.

No ano passado, em um movimento para ajudar a sobreviver financeiramente, o time determinou a chegada de Mazepin como companheiro de time de Mick Schumacher e da empresa russa, administrada por Dmitry Mazepin, pai do piloto. A ligação dos americanos com a Rússia ficou forte, pois, e esteve refletida até mesmo no design do VF-21 e do VF-22.

“Todos mantiveram a cabeça erguida e ficaram prontos para o momento em que tivéssemos um bom carro. Quando esse momento chegou, todos fizeram sua parte e estou muito orgulhoso deles. Eles podem estar orgulhosos de si mesmos”, finalizou Steiner.

LEIA TAMBÉM
Zhou se diz “sem palavras” após GP do Bahrein e comemora: “Mereço estar aqui”
Ricciardo vê limitação física no Bahrein por Covid-19, mas valoriza: “Ao menos competi”
Tsunoda e Zhou fazem história na terceira vez em que asiáticos pontuam juntos na F1

Mick Schumacher em ação no circuito de Sakhir (Foto: Haas F1 Team)

Recentemente, a família Mazepin sofreu sanções financeiras da União Europeia e do Reino Unido. Dmitry e Nikita, por exemplo, tiveram caminho aberto para que tenham todos os ativos em território britânico congelados e até mesmo serem banidos de viajar.  O motivo é a proximidade ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, por conta da invasão militar à Ucrânia – amigo próximo de Putin, Dmitry Mazepin teve um encontro com o presidente, em 24 de fevereiro, quando começou a invasão russa no país vizinho. A reunião contou com outros 36 empresários e tinha como objetivo discutir o provável impacto do conflito no leste europeu.

Justamente por tal proximidade, a permanência da Uralkali e, consequentemente, de Nikita na Haas ficou inviável – Kevin Magnussen foi chamado para substituí-lo na temporada de 2022. Antes da determinação das sanções, os Mazepin planejavam uma batalha legal contra a equipe, onde exigiam a devolução de dinheiro pago antes do encerramento do contrato tanto com o piloto quanto com a patrocinadora de maneira abrupta.

O imbróglio parece ter ficado para trás e, agora, o foco da Haas é nas pistas. O primeiro bom resultado já veio, mas a equipe americana vai buscar manter o bom momento já no próximo fim de semana, em Jedá, para o GP da Arábia Saudita. A corrida está marcada para às 14h (de Brasília) do domingo.

FÓRMULA 1 2022: O QUE ESPERAR DO PELOTÃO INTERMEDIÁRIO?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar