F1
23/07/2018 08:08

Hamilton destaca fé na vitória e diz que chuva “acabou com a negatividade”: “É um dia glorioso”

Depois do feito em Hockenheim, Lewis Hamilton desabafou e disse que a fé de que o fim de semana não tinha acabado esteve com ele em todo momento. O inglês também destacou que o domingo não poderia ter sido melhor e que o dia vai ficar na memória
Warm Up, de Hockenheim / EVELYN GUIMARÃES, de Hockenheim / BRUNA ARIMATHEA, de São Paulo
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)

Lewis Hamilton foi do céu ao inferno - ou melhor, do inferno ao céu - neste fim de semana do GP da Alemanha, 11ª etapa do Mundial de F1. Depois de se ajoelhar de tristeza diante do carro que lhe dera apenas a 14ª posição de largada, o inglês triunfou no lugar mais alto do pódio, no domingo (22), e na retomada da liderança do campeonato. Para o piloto, foi um dia de glórias onde a “chuva caiu e acabou com qualquer negatividade”.
 
Antes mesmo da corrida começar, Hamilton sentia que o jogo ainda poderia virar na etapa alemã. Apesar da prova de recuperação, escalar o pelotão seria uma tarefa relativamente fácil e o desafio estava em alcançar as primeiras colocações. Em entrevista após a corrida, o inglês falou muito em fé e em acreditar que o fim de semana não tinha acabado na prova de classificação.
 
“É cedo demais na temporada para realmente sentir que ela está se esvaindo, mas é claro que nunca é bom quando você enfrenta a adversidade, mas quanto mais você aguenta, mais forte você fica. Continue acreditando, coisas positivas virão à frente. Apenas continue lutando, apenas dê tudo o que você tem porque em algum momento as coisas vão melhorar. Hoje é um dos dias mais inacreditáveis ​​para mim porque eu rezei como sempre faço antes da corrida e minhas orações foram realmente respondidas. Isso me assusta um pouco mais do que o normal”, revelou o piloto da Mercedes.
Lewis Hamilton comemorou, debaixo de chuva, a vitória no GP da Alemanha (Foto: Beto Issa)
A luta direta pelo quinto título com Sebastian Vettel tem tomado ares dramáticos, diferente dos vistos nos anos anteriores na F1. Hamilton assistiu a vitória do alemão em Silverstone, seu GP de casa e a vantagem de oito ponto se abrir no Mundial. Em Hockenheim, diante da torcida alemã, o piloto, emocionado e bastante cansado da prova, afirmou que viveu um dia memorável e que nem as vaias ouvidas durante o pódio o fizeram se sentir menos feliz com a conquista.
 
“Eu não lembro de fãs vaiando na Inglaterra. Quando eu cheguei aqui tiveram muitas vaias. O estranho é que eu fiquei muito feliz com isso. Isso era incomum. É estranho que eu ainda esteja feliz. Foi porque eu continuei vendo individualmente, um par de diferentes bandeiras britânicas entre cem ou mil, um mar de vermelho até que se podia ver uma bandeira britânica”, adicionou. 
 
“E aí você tem pessoas do México, pessoas da Inglaterra, você tem pessoas, eu acho, da Nigéria ou de algum lugar da África vestindo camisetas com o nome ‘Hamilton’, de pé entre o vermelho. Tudo isso foi muito positivo para mim”, completou.
 
Ao fim da corrida, Hamilton comparou a chuva a uma espécie de banho para eliminar as coisas negativas do fim de semana, e ressaltou o quão especial foi levar a vitória em Hockenheim. A conquista, porém, chegou a ser ameaçada. O piloto cruzou a linha da entrada do pit-lane e voltou para a pista, ação proibida pelo regulamento e passível de punição. A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) não julgou o incidente como sendo perigoso e manteve o resultado da prova sem punições.
 
“Eu disse no final que o amor conquista tudo. E eu realmente sinto que a chuva caiu e acabou com qualquer negatividade. É um dia glorioso. Não poderia ter sido um dia melhor para mim e que eu sempre me lembrarei”, encerrou.
 
Hamilton sai do GP da Alemanha com 188 pontos, 17 a mais que Vettel, que abandonou após escapar no estádio e bater na barreira de proteção. A dobradinha da Mercedes, com segundo lugar de Valtteri Bottas, colocou também o time de volta no topo. A equipe prateada tem 310 pontos, contra 302 da Ferrari.