Hamilton se defende de críticas feitas por Rosberg por largada no Japão: “Isso não é um jogo de xadrez entre amigos”

Choro de perdedor? O fato é que Nico Rosberg não gostou da maneira como foi ultrapassado Lewis Hamilton na largada do GP do Japão, no último domingo, e disse que teve de evitar a colisão na Mercedes do companheiro de equipe. Mas o britânico se defendeu

Não faz muito tempo, Niki Lauda, presidente não-executivo da Mercedes e lendário tricampeão mundial de F1, disse que os pilotos precisam ser egocêntricos para triunfar na F1. No último domingo (27), Lewis Hamilton apostou em uma manobra arrojada na largada do GP do Japão. O britânico tracionou melhor que Nico Rosberg, pole-position em Suzuka, dividiu a curva 1 com o alemão, que foi para a grama, e assumiu a liderança para não mais perde-la e vencer pela oitava vez em 14 corridas na temporada 2015.

Rosberg não gostou e criticou a manobra de Hamilton. O alemão chegou a desmentir que uma suposta dor de cabeça tenha afetado seu desempenho na corrida. A explicação oficial por parte da Mercedes é que um problema de superaquecimento do seu motor lhe tirou a potência necessária para fazer valer a pole-position em Suzuka. Lewis, por sua vez, rebateu e disse que a F1 “não é um jogo de xadrez entre amigos”.

Mas dor de cabeça, mesmo, quem deu a Rosberg foi Hamilton. Por isso, o alemão bradou. “Sem dúvida, estava muito perto. Tive de evitar a batida. É difícil comentar. Definitivamente, vamos por um caminho ruim”, disse Nico.

O momento decisivo do GP do Japão: por dentro, Lewis ultrapassa Rosberg para vencer em Suzuka (Foto: AP)

Se a missão de Rosberg ao pleitear o título de 2015 já era difícil antes do GP do Japão, agora ficou muito mais espinhosa. Afinal, são 48 pontos separando os dois pilotos da Mercedes. Por isso, Nico foi só lamentos ao fim da disputa no Oriente. “Tinha de ganhar, por isso era importante, mas não consegui. Preciso tentar vencer a próxima corrida.”

Por outro lado, Lewis defendeu sua postura na pista. Em entrevista à emissora Sky Sports, Hamilton disse que jogou limpo e tracionou melhor na linha de dentro. Em Suzuka, o melhor traçado no trecho da reta dos boxes é por fora, onde Rosberg largou da pole-position.

“Sabia que Nico tinha feito um grande trabalho na classificação, e eu precisava ter uma boa largada. Foi muito apertado indo para a curva 1. A linha de fora até a curva 1 é melhor, e Nico estava nessa, mas felizmente eu estava por dentro e tive de despejar alguma potência e fazer isso. Quando eu me coloquei à frente, ele teve de recuar”, explicou o britânico.

Choro de perdedor? Rosberg criticou a manobra de Lewis na largada em Suzuka (Foto: AP)

“Quando você está por fora, você espera por isso. É difícil, certamente, mas isso não é um jogo de xadrez entre amigos. Eu não fiz nada de perigoso para nos tirar da corrida, eu queria vencer a corrida”, acrescentou o bicampeão do mundo.

Toto Wolff, diretor-esportivo da Mercedes, confirmou que vai se reunir com seus dois pilotos para falar sobre o ocorrido, uma vez que ainda não pode tirar qualquer conclusão do ocorrido. “Dois carros tão parelhos na segunda curva não é a melhor situação”, disse o dirigente austríaco em entrevista à emissora alemã RTL.

Por outro lado, Niki Lauda defendeu Hamilton. “Para mim, foi algo normal, uma manobra agressiva quando está por dentro. Nico vai dizer que Lewis deveria dar mais espaço, mas Lewis fez uma largada melhor e estava na linha de dentro. Não há nada a dizer. Lewis mostrou grande ritmo com tudo sob controle, e não há nada de negativo a dizer. Entretanto, ambos vão discutir sobre isso.”

VIU ESSA? CARRO SOBE EM CIMA DO OUTRO EM CORRIDA DE PORSCHE

determinarTipoPlayer(“15624680”, “2”, “0”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube