F1

“Hoje é um dia triste para a F1”: Ferrari diz que Lauda “vai permanecer para sempre nos corações dos tifosi”

Equipe pela qual Niki Lauda fez história e conquistou dois dos seus três títulos mundiais, a Ferrari se pronunciou nas redes sociais após a morte do ex-piloto austríaco e a ele se referiu como “nosso querido amigo”

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
 Lauda comemorando a vitória em Zolder em 1976 (Foto: Forix/LAT)
Das cinco equipes pelas quais correu na Fórmula 1, a Ferrari representou o ciclo mais vitorioso de Niki Lauda. Entre 1974 e 1977, o austríaco disputou 57 GPs, triunfou em 15, marcou 24 das 25 poles da carreira e faturou dois títulos mundiais, em 1975 e 1977. Foi também representando as cores da Ferrari que Lauda sofreu o mais grave acidente da sua trajetória, no GP da Alemanha de 1976, em Nürburgring. Renascido como uma fênix, Lauda voltou a acelerar seis semanas depois.
 
Até hoje, Lauda permanece como o segundo maior vencedor da história da Ferrari, ficando só atrás de Michael Schumacher, com 72 triunfos. Mas o austríaco segue à frente de nomes como Sebastian Vettel, único capaz de superá-lo em número de vitórias com a escuderia de Maranello.
Lauda tirou a Ferrari de uma fila de 11 anos sem títulos na Fórmula 1 (Foto: Getty Images)
Na manhã desta terça-feira, a equipe italiana se pronunciou após tomar conhecimento da morte de um dos seus mais icônicos nomes.
 
“Hoje é um dia triste para a F1. A grande família Ferrari soube, com profunda tristeza, da morte do nosso amigo Niki Lauda, tricampeão mundial, duas vezes com a Scuderia. Você vai permanecer para sempre em nossos corações e nos dos tifosi”, escreveu a Ferrari nas redes sociais.
 
“Todos na Ferrari estão profundamente tristes com a notícia da morte do nosso querido amigo Niki Lauda. Nossas sinceras condolências vão todas para sua família e amigos”, acrescentou a equipe italiana.

"Acho que graças a sua bravura e seu carisma indiscutível, ele ajudou esse esporte a ser conhecido e amado no mundo. Tenho lembranças dele dizendo que minha abordagem suíça era exatamente o necessário para trazer ordem para a italiana Ferrari. Isso era o Niki, direto, mesmo sem concordar com ele o tempo inteiro, você não poderia deixar de gostar dele", declarou Mattia Binotto, chefe de equipe.

"É um dia muito triste pra mim. Fui sortudo de ver ele correr para os fãs da Ferrari e para a Fórmula 1. Niki nos deixa após sofrer muito, e isso é doloroso para mim. Ele ganhou muito com a Ferrari e também com outras equipes, sempre foi um amigo. Era um piloto fantástico, um homem de negócios de sucesso e uma pessoa incrível. Sentirei sua falta", disse Piero Ferrari, vice-presidente.
 
Apenas anos mais tarde, em 1985, Lauda superou a marca de 57 corridas disputadas pela Ferrari. Com a McLaren, no seu último ciclo na Fórmula 1, o austríaco chegou a 58 GPs na prova que marcou sua despedida definitiva do esporte.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.