F1

Kvyat supera ansiedade e ponto de interrogação em volta à Toro Rosso: “Me sinto de volta ao normal”

Daniil Kvyat tem em 2019 mais uma chance com a Toro Rosso. De volta a equipe, o piloto reconheceu que sentiu certo nervosismo ao entrar no carro pela primeira vez, mas logo que deu as primeiras voltas, já se sentiu de volta ao normal

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
É normal sentir um pequeno nervoso quando vai começar aquele emprego novo, e disso Daniil Kvyat entende bem. De volta à Toro Rosso em 2019, o piloto admitiu que ficou nervoso antes dos primeiros testes com a equipe em Abu Dhabi.
 
O russo fez sua estreia na Fórmula 1 em 2014, garantindo sua promoção para a Red Bull já no ano seguinte. Entretanto, uma sucessão de erros resultou não apenas em seu rebaixamento, como também seu chute da categoria no meio de 2017.
 
Mas nesta temporada o piloto ganhou mais uma chance. Em entrevista ao ‘GPFans’, Kvyat explicou como sentiu hesitação em seu retorno, mas que agora quer mostrar como realmente mudou.

“Eu estava, para ser sincero, um pouco ansioso antes dos testes em Abu Dhabi. Fiquei muito tempo longe de um carro de F1 e da F1... da ação na pista, vamos colocar assim", explicou.
Daniil Kvyat (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
“Também havia um ponto de interrogação em como as coisas iriam após tanto tempo – no geral, a pilotagem. Após cinco voltas estava de volta ao normal, e como Franz [Tost] disse, não parece que estive afastado”, completou.
 
No tempo em que ficou fora do grid da F1 assumiu o papel de piloto reserva da Ferrari. Daniil então explicou como o tempo afastado o ajudou, esperando que todo o processo de mudança feita seja refletido na pista.
 
“Acredito que as coisas estão diferentes de quando estive aqui pela última vez. Acho que foi bom ter este ano e colocar as coisas no lugar e refletir, tentar me tornar um piloto melhor. Espero que as coisas que mudem em minha abordagem no trabalho em geral e na pilotagem também sejam refletidas na pista”, explicou.
 
Por fim, Kvyat admitiu que sequer pensou em recusar a proposta da Toro Rosso, mesmo que a equipe o tenha demitido menos de dois anos atrás. “Normalmente, o verão é quando você pode começar as conversas [sobre o futuro] e a primeira proposta que chegou, que parecia real e foi bastante direta, foi de Helmut [Marko]”, falou.
 
“Não pensei duas vezes, não. Queria voltar e tinha muitas coisas para fazer [com a Toro Rosso]. Disse que queria voltar e fazer o meu melhor aqui. Minha fome [de correr] cresceu muito durante 2017. Agora me sinto de volta ao normal, eu diria. Estou realmente envolvido e aproveitando todo o processo, é um prazer”, encerrou.