F1

Latifi fala em fazer “último ano de F2” em 2019 e traça meta para entrar na F1: brigar pelo título

Nicholas Latifi ainda não sabe ao certo onde correrá na próxima temporada, mas tem clara a intenção de seguir na F2 para um último ano e, enfim, conseguir dar o passo que falta para a F1
Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo
 Nicholas Latifi (Foto: Racing Point Force India)

Nicholas Latifi é um nome já conhecido há anos na F2 e até na F1. Diversas vezes participando de treinos livres com a Force India, o canadense de 23 anos não vê a hora de entrar no grid da categoria máxima do automobilismo mundial. Mas sabe que, para isso, vai precisar fazer mais na F2 em seu último ano de base.
 
Atualmente correndo pela DAMS, o canadense garantiu, em entrevista coletiva acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO, que ainda não tem definido seu futuro para o ano que vem, mas quer fazer a última temporada pela F2 em 2019, conquistando os resultados que não tem conseguido em 2018.
 
"Por enquanto ainda não tenho nada garantido para o ano que vem, mas minha intenção é fazer mais um ano de F2, na verdade, um último ano de F2. Quero fechar essa passagem brigando pelo título, óbvio que pelo menos tenho de ter minha melhor temporada na categoria, já que esse ano não foi como gostaria, apesar de ter melhorado nas últimas provas", disse.
Nicholas Lafiti sonha com F1 em 2020 (Foto: Racing Point Force India)
Latifi viu seu pai participar da concorrência para adquirir a Force India, mas quem acabou levando foi Lawrence Stroll e seus parceiros. De qualquer forma, Nicholas acredita que pode chegar à F1 por vias normais, desde que faça uma temporada de F2 brigando por título, se espelhando em George Russell, Lando Norris e seu atual parceiro Alexander Albon.
 
"Minha ideia é estar lutando pelo título para poder chamar a atenção das equipes e conseguir subir para a F1. Acho que ficando entre os três primeiros a coisa fica boa, já que George e Lando estão subindo e o Alex tem uma chance muito boa de ir para a Toro Rosso", seguiu.
 
O canadense vê a F2 cada vez mais competitiva pelo nível das equipes, mas admite que o cenário ideal para 2019 seria ficar mais um ano com a DAMS, equipe com a qual ocupa a nona posição parcial em 2018 e tem Albon brigando pela taça.
 
"Gostaria de permanecer com a DAMS, acho que é o que mais faria sentido. Só que não sei ainda como vai ser, estamos negociando. O que importa é que o panorama da F2 tem mudado nos últimos anos, em especial, no atual. Temos uns cinco times que conseguem competir bastante, não há mais um domínio, então isso aumenta as possibilidades de se estar em um bom carro", explicou.
 
O foco do jovem piloto é, hoje, total na F1, ainda que a DAMS permita pensar em Fórmula E para o futuro, com a ligação com a Nissan. Latifi, porém, ainda não trabalha com esse cenário.
 
"Sobre a Fórmula E, ainda não me interessei muito pela categoria, acho que não é o momento de pensar nela, mas a DAMS está por lá e, claro, poderia ser uma opção mais para frente, mas não é algo que me interesse por agora", comentou.