Hamilton cobra Mercedes por atualizações: “Com a Red Bull assim, não tem o que fazer”

Ainda que Toto Wolff tenha dito que a Mercedes vai focar o seu trabalho no desenvolvimento do carro do ano que vem, Lewis Hamilton deixou claro que só haverá alguma chance de lutar contra a Red Bull se o W12 receber atualizações: “Eu não aceito nada. Temos muitas corridas pela frente e temos de continuar lutando”, defendeu o heptacampeão

Verstappen domina e vence na casa da Red Bull: os melhores momentos do GP da Estíria (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

O clima na Mercedes depois de mais uma dura derrota diante da Red Bull não é, definitivamente, dos melhores. O triunfo acachapante de Max Verstappen no GP da Estíria do último domingo (27) jogou a equipe heptacampeã nas cordas, e Lewis Hamilton deixou claro que só há uma chance para lutar contra o holandês pelo título em 2021: apenas se houver melhorias significativas no W12. Entretanto, Toto Wolff avisou que o foco já está no desenvolvimento do carro do ano que vem, já sob a égide do novo regulamento técnico.

Entretanto, Hamilton avisou que discorda da decisão da Mercedes de abrir mão do desenvolvimento do W12. Do contrário, será impossível, na visão do heptacampeão, batalhar contra a Red Bull e Max Verstappen pela taça nesta temporada.

LEIA TAMBÉM
OPINIÃO GP: Red Bull inverte papéis, vira melhor equipe e vê Mercedes de mãos atadas

LEWIS HAMILTON; MERCEDES; GP DA ESTÍRIA;
Lewis Hamilton entende que só com grandes atualizações no W12 a Mercedes poderá lutar contra a Red Bull (Foto: Steve Etherington/Mercedes)

+O resultado do GP da Estíria de Fórmula 1
+A classificação da Fórmula 1 depois do GP da Estíria

“Eles são mais rápidos. Eles simplesmente são mais rápidos. Não há muito o que eu possa fazer a esse respeito, só temos de seguir tentando fazer nosso melhor trabalho possível a cada fim de semana”, declarou o britânico em entrevista à emissora britânica Sky Sports.

Atordoado pela vitória dominante de Verstappen no Red Bull Ring, Hamilton tenta procurar respostas para a grande performance do carro taurino do holandês e também para uma reação cada vez mais difícil no campeonato. “Precisamos buscar algum desempenho, precisamos de algum tipo de atualização, precisamos lutar. Não sei se é só a asa traseira ou se é a atualização do motor, seja o que for, mas temos de encontrar algum desempenho em algum lugar”.

Insatisfeito, Hamilton cobrou a Mercedes e pediu melhorias urgentes no W12 para a sequência da temporada. O piloto aproveitou para comparar sua equipe com a Red Bull, que não vem medindo esforços para buscar seu primeiro título depois de oito anos.

“Não trouxemos nenhuma atualização. Não me lembro a última vez que fizemos uma atualização. Mas eles têm. Eles claramente tiveram a atualização do motor e trouxeram algumas peças do pacote. Embora haja um caminho muito longo pela frente, com eles atuando assim, não temos muito o que fazer. Tenho confiança na equipe de que vamos encontrar algo”, disse.

Questionado se a mudança nos planos da Mercedes tem relação com o teto orçamentário, Lewis mostrou até certa irritação. “Talvez eles [a Red Bull] tenham gasto mais dinheiro do que nós neste ano. Talvez gastamos mais dinheiro no ano que vem. Não sei. Não sou eu quem lida com o dinheiro, estou somente tentando tirar o máximo do carro”, disparou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Já na entrevista coletiva logo depois da corrida, Hamilton foi perguntado se aceitaria o fato de a Mercedes não mais desenvolver o W12. A resposta do heptacampeão foi direta. “Bem, eu não aceito nada. Acho que ainda temos muitas corridas pela frente e temos de continuar lutando. Somos campeões mundiais e é isso o que nós podemos, definitivamente, melhorar se focarmos nossas mentes em cima disso. Se não vamos desenvolver e melhorar o nosso carro pelo restante do ano, esse é o resultado que vocês vão ver”, afirmou.

“Porque, como disse, eles têm garantido a performance nessas últimas corridas, seja na França, com o novo motor ou a asa, seja o que for”, continuou o piloto, esperançoso em alguma nova determinação por parte da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) sobre as asas traseiras da Red Bull.

“Há outra diretiva técnica vindo para as asas. Não sei se eles estão impedindo a curvatura ou não, mas talvez isso nivele um pouco. Vamos ver”, complementou o vice-líder do Mundial de Pilotos, 18 pontos atrás de Verstappen depois do GP da Estíria do último domingo.

A Fórmula 1 continua com sua série de três corridas em finais de semana consecutivos e permanece no Red Bull Ring para a disputa do GP da Áustria entre os dias 2 e 4 de julho, com promessa de casa cheia no circuito austríaco. O GRANDE PRÊMIO cobre tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

LEIA TAMBÉM
+Verstappen exalta equilíbrio já projeta outro bom trabalho na Áustria
+2º, Hamilton reconhece que está ‘impossível’ acompanhar Verstappen
+Parece que o jogo virou, não é mesmo? Red Bull domina a F1 em 2021

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar