Hamilton se espanta com atitude de Verstappen após incidente: “Surpreendente”

Lewis Hamilton revelou incômodo por Max Verstappen não ter demonstrado preocupação com sua condição logo depois do incidente que marcou o GP da Itália no último domingo

Lewis Hamilton e Max Verstappen batem: carro da Red Bull fica sobre o da Mercedes (Vídeo: F1)

Dentre todas as nuances do incidente entre Lewis Hamilton e Max Verstappen na volta 26 do GP da Itália do último domingo (12), chamou a atenção a atitude que teve o holandês. Logo depois de sair do seu carro, que ficou parado em cima da Mercedes do heptacampeão, Verstappen passou ao lado de Hamilton, mas sequer parou para demonstrar preocupação com o rival, que chegou a ser acertado pelo pneu traseiro da Red Bull, mas foi salvo pelo halo de um impacto muito mais forte. Hamilton mostrou surpresa com a atitude do líder do Mundial de Pilotos.

“Eu vi Max sair e simplesmente passar [ao lado]. Achei isso um pouco surpreendente porque, em última análise, quando saímos e temos incidentes, a primeira coisa que você quer checar é que o cara com quem batemos está bem”, disse Hamilton em entrevista coletiva logo depois da corrida.

“Mas o bom é que consegui sair. Foi uma longa caminhada de volta [aos boxes], mas estamos vivos para lutar novamente”, comentou Lewis, aliviado.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

MAX VERSTAPPEN; LEWIS HAMILTON; ACIDENTE; HALO; GP DA ITÁLIA; MONZA; F1; FÓRMULA 1;
Imagem aproximada mostra como halo salvou vida de Lewis Hamilton em acidente com Max Verstappen (Foto: AFP)

LEIA TAMBÉM
+OPINIÃO GP: Hamilton tem razão: Verstappen teima em ceder e adota posição perigosa

Em julho, Verstappen, Christian Horner e Helmut Marko, em uníssono, criticaram Hamilton duramente pelo fato de o heptacampeão ter festejado a vitória no GP da Inglaterra e, na visão deles, não ter demonstrado preocupação com o estado de saúde do holandês, que foi encaminhado para o hospital depois da forte batida sofrida após incidente com Hamilton na curva Copse na primeira volta. Hamilton alegou à época que perguntou via rádio sobre a condição de Verstappen e recebeu como resposta que o rival estava ok.

Desde então, os ânimos se acirraram ainda mais na relação entre Red Bull e Mercedes. Depois da tensão em Silverstone, Hamilton e Verstappen mantém uma relação respeitosa e costumam se cumprimentar quando estão em frente às câmeras.

Lewis contou que a primeira reação que teve logo após o acidente na chicane da curva 1 em Monza foi tentar sair do carro e voltar à corrida.

“Definitivamente não achei que Max perderia o controle ao passar pela zebra e me acertaria. Olhando em retrospectiva, tudo aconteceu muito rápido. Dentro do carro, tudo o que eu conseguia pensar era em sair dali e em quantas posições estava perdendo”, declarou.

“Ainda estava no modo corrida, então é algo como: posso [correr] de novo? Estou sentado aqui com um pouco de dor, mas vamos lá. Mas, infelizmente, o carro não se mexeu”, lembrou o piloto da Mercedes.

Perguntado sobre sua condição clínica, Hamilton disse que está bem e vai trabalhar em conjunto com sua fisioterapeuta para se recuperar plenamente para disputar o GP da Rússia. O heptacampeão também destacou a importância do halo, que salvou sua vida. “Estou com um pouco de dor, pra ser sincero. Na verdade, acho que foi uma descarga de adrenalina na hora e parece que vai ficando um pouco pior ao passo em que a adrenalina aumenta. Mas vou trabalhar com a Angela [Cullen] para ajeitar isso”.

“Acho que, sinceramente, tenho de me sentir muito feliz hoje. Graças a Deus pelo halo, que me salvou e salvou meu pescoço. Acho que, levando em conta o momento, foi um grande êxito. Mas tudo o que conseguia pensar é se poderia correr de novo”, finalizou Lewis Hamilton.

HALO SALVA HAMILTON EM BATIDA COM VERSTAPPEN, RICCIARDO VENCE: O GP DA ITÁLIA DE F1 | Briefing

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar