McLaren vive segundo semestre de sonho e se encaminha para entrar na ‘Fórmula 1 A’

Nos últimos GPs, com exceção do GP da Holanda, a McLaren mostrou força para bater de frente com Mercedes e Red Bull, ganhou corrida, fez dobradinha e largou na pole-position, algo impensável no começo da temporada. Ainda falta um caminho a percorrer, mas a receita do sucesso está diante dos nossos olhos

COMO NORRIS NO GP DA RÚSSIA DE F1 LEMBROU BARRICHELLO NO GP DA ALEMANHA 2000

Talvez nem mesmo o mais otimista torcedor da McLaren esperaria um segundo semestre tão incrível nesta temporada 2021 da Fórmula 1. Lá atrás, no começo do ano, era esperado que a lendária equipe de Woking lutaria de igual para igual com a Ferrari e beliscaria alguns pódios aqui e ali. Mas Daniel Ricciardo e, principalmente, Lando Norris, foram muito além das expectativas, entregaram resultados notáveis depois das férias de verão e colocaram o time laranja no meio da briga com Mercedes e Red Bull. A chamada ‘Fórmula 1 A’ ainda não é uma realidade, mas a McLaren está a caminho para fazer parte dela muito em breve.

Primeiro de tudo, os números. Embora sejam frios, eles refletem o que tem sido o segundo semestre fantástico da McLaren até aqui. Quando se faz um recorte para contabilizar somente as quatro últimas corridas, a escuderia britânica marcou 71 pontos. Menos que a Mercedes, que conquistou 94,5 pontos, porém muito próxima da Red Bull, que registrou 73,5 tentos neste período.

Agora, os fatos. Com exceção do GP da Holanda, onde a McLaren foi mal no fim de semana como um todo em Zandvoort e só marcou 1 ponto com o décimo lugar de Norris, a equipe se mostrou muito competitiva nas demais pistas: Spa-Francorchamps, Monza e Sóchi. No GP da Bélgica, Lando despontava como grande candidato à pole-position e provavelmente estaria entre os primeiros do grid se não fosse pelo acidente fortíssimo em razão do asfalto encharcado na Eau Rouge. No fim das contas, venceu a não-corrida quem largou na frente, no caso, Max Verstappen.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

A McLaren vive grande fase na Fórmula 1 neste segundo semestre de 2021 (Foto: Beto Issa)

LEIA TAMBÉM
+De Montreal a Sóchi: Hamilton escreve página inédita com 100ª vitória na Fórmula 1
+Hamilton descreve marca singular de 100 vitórias na Fórmula 1 como “momento mágico”
+As dez mais memoráveis dentre as 100 vitórias da carreira de Hamilton na Fórmula 1

O GP da Itália foi todo muito consistente para a McLaren. Claro que alguns fatos ajudaram a equipe naquele fim de semana em Monza: a punição de troca de motor para Valtteri Bottas, pit-stops ruins da Mercedes e da Red Bull e o polêmico incidente entre Max Verstappen e Lewis Hamilton, por exemplo. Mas mesmo quando os dois postulantes ao título estiveram na batalha, Ricciardo — que assumiu a liderança da corrida logo na largada — comandou a prova no mérito e Norris manteve a ótima performance do início ao fim.

Mesmo sendo um feito surpreendente, foi uma dobradinha histórica conquistada com todo o merecimento. Aquela prova representou a quebra de um jejum que durava desde o GP do Brasil de 2012.

Duas semanas depois, no GP da Rússia, a McLaren voltou a surpreender. Norris esteve sempre ali entre os primeiros na classificação, que praticamente não contou com Max Verstappen e parecia ter a cara da Mercedes. Mas a pista secou no Q3, Hamilton errou na entrada do pit-lane, Lando e Ricciardo acertaram no momento da troca dos pneus intermediários para o slicks. O prodígio britânico aproveitou a grande chance e garantiu a primeira pole da carreira.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Ao menos no sábado, Lando Norris teve muitos motivos para sorrir na Rússia (Foto: McLaren)

O domingo foi aquela história que ainda está na retina. Norris largou na pole, foi ultrapassado por Carlos Sainz, da Ferrari, mas teve ritmo o bastante para não apenas superar o ex-companheiro de equipe e se manter na ponta por 30 voltas. E mais ainda, se segurou na liderança mesmo com a pressão cada vez maior de Hamilton nas voltas finais. Só mesmo a chuva, no fim da corrida, foi capaz de tirar o que seria a primeira — e merecidíssima — primeira vitória de Lando.

Está muito claro que a McLaren deu um salto muito grande nas últimas provas do campeonato com resultados que não foram meramente obra do acaso. O time teve desempenho o bastante para andar lá na frente e aproveitar as oportunidades que surgiram. Na Fórmula 1 ou na vida como um todo, é justamente disso que se trata.

A grande arrancada da escuderia comandada por Zak Brown e Andreas Seidl lembra a campanha da Red Bull na segunda parte da temporada 2009, aquela dos difusores duplos e que teve a Brawn GP como grande campeã. É que a gordura obtida pela fugaz equipe nas primeiras corridas do campeonato foi tão grande que tornou impossível aos taurinos lutar pra valer pelo título. Jenson Button faturou a taça de campeão do Mundial de Pilotos, mas Sebastian Vettel conseguiu superar Rubens Barrichello e garantiu o vice.

O cenário de agora é um pouco diferente. Em condições iguais, a McLaren ainda não está ao mesmo nível de Mercedes e Red Bull, mas caminha para tal e está na transição da ‘Fórmula 1 B’ para a ‘Fórmula 1 A’. É uma condição muito distinta, por exemplo, da outra equipe que triunfou de forma inesperada neste ano, a Alpine, com Esteban Ocon na Hungria.

Há alguns pontos a salientar neste crescimento incrível da McLaren nesta temporada: o encaixe perfeito com o motor Mercedes, o que traz de volta o sucesso para uma parceria outrora extremamente bem-sucedida entre 1995 e 2014; Ricciardo, finalmente, engrenou depois de uma primeira parte do campeonato muito decepcionante. E Norris, com inacreditáveis quatro pódios obtidos em 2021, mostrou que não é apenas uma promessa, mas uma grande realidade e com potencial para ser campeão do mundo em poucos anos.

LANDO NORRIS; ZAK BROWN; DANIEL RICCIARDO; MCLAREN; PÓDIO; GP DA ITÁLIA;
A McLaren está no caminho certo para voltar a buscar grandes coisas na Fórmula 1 (Foto: McLaren)

Definitivamente, a McLaren, dona de oito títulos do Mundial de Construtores e de outros 12 do Mundial de Pilotos, está de volta. O que é um grande alento para o amante do esporte a motor que tem no imaginário a equipe que construiu uma história vitoriosa ao longo dos tempos.

O que vem por aí, principalmente sobre 2022, é uma incógnita, até porque todo mundo vai entrar no escuro sobre a ordem de forças por conta do novo regulamento. Mas a McLaren já demonstrou que tem a receita do caminho do sucesso para ir além e sonhar com coisas grandes, novamente, na Fórmula 1.

HAMILTON VENCE, MAS MERCEDES SENTE REAÇÃO DE VERSTAPPEN NA F1 2021 | Paddock GP #258

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar