Mercedes diz que 2° pit seria ruim para Hamilton na França: “Teria de passar o Pérez”

E se Lewis Hamilton também tivesse feito um pit-stop extra na França? A Mercedes sente que seria um erro, já que o britânico perderia tempo com Sergio Pérez, da Red Bull

Verstappen arrisca na estratégia e bate Hamilton: os melhores momentos do GP da França (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

A Mercedes não reagiu ao segundo pit-stop da Red Bull com Max Verstappen e, assim, viu a vitória escapar das mãos de Lewis Hamilton. A diferença de estratégias levou o britânico a cruzar a linha de chegada em segundo na França, mas a equipe alemã não sente necessariamente que errou: seria difícil fazer uma estratégia de pit-stop extra funcionar em Paul Ricard.

Quem diz isso é Andrew Shovlin, diretor de engenharia da Mercedes. O dirigente diz que um segundo pit-stop de Hamilton o deixaria em quarto, atrás de Sergio Pérez, com pneus mais conservados. A Red Bull usou ordens de equipe para que Verstappen passasse o mexicano, mas a história seria muito diferente com o heptacampeão.

“Acho que colocar o Lewis [Hamilton] em uma estratégia de duas paradas não funcionaria tão bem assim”, disse Shovlin. “O Max [Verstappen] nos superou por pouco, e nós teríamos de ultrapassar o Sergio [Pérez], que é algo que obviamente seria mais difícil para o Lewis do que foi para o Max”, seguiu.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

FÓRMULA 1; F1; GP DA FRANÇA; PAUL RICARD; MAX VERSTAPPEN; LEWIS HAMILTON;
Lewis Hamilton e Max Verstappen travaram novo duelo (Foto: Antonin Vincent/Getty Images/Red Bull Content Pool)

A Mercedes apenas pediu que Hamilton cuidasse dos pneus gastos, torcendo para Bottas segurar Verstappen na briga pelo segundo lugar. Como o finlandês foi superado facilmente, o britânico acabou exposto. Uma manobra na penúltima volta rendeu a vitória ao holandês.

O que a Mercedes não consegue entender ainda é como ficou de mãos atadas em Paul Ricard. A equipe liderava com Hamilton desde a largada e conseguia até abrir vantagem, mas perdeu a liderança no primeiro pit-stop de forma inesperada.

“Nós achamos que, com mais de 3s de vantagem sobre o Max [Verstappen], estávamos protegidos contra o undercut, e não foi o caso. Mesmo agora, ainda não entendemos por completo o que levou nossas projeções a dizer que estaria tudo bem. Claramente tem algo que precisamos entender melhor aqui”, lamentou Shovlin.

“O pneu duro estava bom logo de cara, mas precisamos analisar tudo. Não entendemos como perdemos a posição. Podemos dizer que perdemos 2s5, mas ainda é algo que precisamos decifrar e entender em detalhes para entender como fomos superados por alguém vindo tão de trás. Não esperávamos isso”, encerrou.

A vitória deixa Verstappen com 12 pontos de vantagem sobre Hamilton no Mundial de Pilotos. A chance de reação da Mercedes é já nesta semana, com o GP da Áustria no Red Bull Ring.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar