Mercedes vê resultado inaceitável na classificação em Jedá: “É hora de acordar”

Toto Wolff, chefe da Mercedes, não ficou nada contente com o resultado de sua equipe na classificação para o GP da Arábia Saudita, e comparou a situação atual da equipe com a de 2013

FÓRMULA 1 AO VIVO 2022: A CLASSIFICAÇÃO DO GP DA ARÁBIA SAUDITA DE F1 | Briefing

A Mercedes não teve a classificação que esperava neste sábado (26) para o GP da Arábia Saudita. Lewis Hamilton foi o destaque negativo da sessão ao ser eliminado no Q1, algo que não acontecia desde o GP do Brasil de 2017, quando bateu durante a classificação. Já George Russell teve um desempenho melhor e vai largar na sexta colocação, atrás das duas Ferrari, das duas Red Bull e da Alpine de Esteban Ocon.

Hamilton reclamou bastante da falta de aderência na traseira de seu W13, e chegou a cogitar uma mudança radical no carro, mesmo que tenha de sair dos boxes. Toto Wolff, chefe da Mercedes, não ficou nada contente com o resultado do time alemão, e explicou o porquê do desempenho tão abaixo do heptacampeão.

“Nós tentamos algo no carro do Lewis [Hamilton] que claramente não funcionou. Ele não tinha aderência na traseira. É hora de acordar”, disse à afiliada alemã da emissora britânica Sky. “Essa é a segunda corrida da temporada e é outra confirmação de que não estamos onde queremos e precisamos estar”, prosseguiu Wolff.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

George Russell vai largar na sexta colocação para o GP da Arábia Saudita (Foto: Mercedes)

“Sobre o George [Russell], acho que hoje foi um bom esforço considerando que só tínhamos um jogo de pneus macios para o Q3, então foi um trabalho sólido da parte dele. Ainda assim, o melhor cenário para nós hoje era terminar na terra de ninguém que fica entre a Red Bull e a Alpine, e isso é inaceitável”, criticou Toto.

A situação complicada da Mercedes já havia aparecido nos testes de pré-temporada, ainda que com dúvidas dos rivais que acreditavam que a equipe alemã poderia estar escondendo o jogo. Para Wolff, a nova ordem de forças do grid lembra uma situação de quase dez anos atrás.

“Eu amo a competição, sempre amei. Nós tivemos uma sequência muito forte de oito anos liderando o grid, achamos uma maneira de chegar na frente. Mas agora lembra um pouco 2013, quando não tínhamos a mesma velocidade da Red Bull e das Ferrari. Nós vamos continuar brigando, e é isso que sinto no momento, que precisamos lutar”, afirmou o chefe da Mercedes.

Hamilton deve largar na 15º colocação, com Russell à frente na sexta posição. Sergio Pérez surpreendeu e vai largar na pole position. A largada do GP da Arábia Saudita está marcada para às 14h, e o O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.

HAAS SURPREENDE E MOSTRA QUE NÃO TEM NADA A PERDER NA FÓRMULA 1 2022
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar