Chefe da Ferrari reafirma após novo GP difícil: “Não estávamos e não estamos em crise”

A palavra ‘crise’ ainda não está no vocabulário de Mattia Binotto, chefe da Ferrari. O dirigente vê os resultados pífios na Bélgica e na Itália como consequência apenas de pistas desfavoráveis

A Ferrari chegou ao segundo GP seguido sem pontos, com um abandono duplo em Monza como cereja no bolo. O momento é difícil, com a equipe apenas em sexto no Mundial de Construtores. Mesmo assim, o chefe Mattia Binotto não muda o discurso: não há crise em Maranello, mas apenas dificuldades em pistas desfavoráveis.

“Eu não acho que estávamos em crise na última corrida e agora posso afirmar que não estamos nessa situação”, disse Binotto logo após o GP da Bélgica. “Minha conclusão é de que foi um final ruim para uma corrida difícil, principalmente quando você tem problemas de confiabilidade como os do Seb [Vettel]. Foi a pior forma de encerrar um fim de semana difícil, mas o mais importante é olhar adiante e tomar isso como uma lição para o futuro, ajudando a equipe a ficar mais forte”, destacou.

Mattia Binotto reconhece o momento difícil da Ferrari, mas sem falar em crise (Foto: Ferrari)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Sebastian Vettel perdeu os freios ainda na volta 5, enquanto Charles Leclerc bateu sozinho na Parabólica na 23. Mesmo antes dos problemas, os dois sofriam com falta de ritmo e não pareciam capazes de terminar na zona de pontos.

A esperança de Binotto é de que o traçado de Mugello seja mais gentil com a SF1000. O dirigente acredita que Spa-Francorchamps e Monza foram as pistas mais desfavoráveis, com os GPs seguintes trazendo oportunidades melhores.

“A gente sabia que Spa e Monza seriam difíceis, as mais difíceis para nós. Espero que a próxima seja um pouco melhor, mas a performance atual do carro certamente não é a que gostaríamos. Mais uma vez, é importante olhar adiante e evoluir com o desenvolvimento do carro”, encerrou.

A corrida em Mugello é particularmente especial para a equipe. O GP da Toscana é o 1000° da escuderia na Fórmula 1. Com ou sem crise, um retorno aos pontos já seria motivo para alguma celebração na Ferrari.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube