F1

"Muito impressionado" com domínio, chefe da Mercedes diz que "nada pararia" Bottas de brigar por ponto extra

Toto Wolff acompanhou a corrida em Melbourne ao lado de Esteban Ocon, mas foi Valtteri Bottas, o dono da vaga com a qual o francês sonha, que brilhou. E o finlandês deixou o chefe bastante impressionado com o desempenho mostrado

Grande Prêmio / FELIPE NORONHA, de São Paulo
Valtteri Bottas passou Lewis Hamilton na largada e não viu mais nenhum carro à sua frente até a bandeira quadriculada. E a vitória dominante do finlandês  no GP da Austrália dets domingo (17), abertura da F1 em 2019, não passou despercebida por quem interessa: seu chefe.

Toto Wolff, que assistiu à corrida ao lado de Esteban Ocon, candidato ao posto que Bottas ocupa para 2020, ficou entusiasmado com o que viu do vencedor - que pode ter complicado a volta do francês, empresariado pelo dirigente, à F1.

" Estou muito impressionado. Diziam que ele estava fora daqui ao final do passado, e agora ele teve a corrida mais dominante o possível", comentou Wolff.
Valtteri Bottas (Foto: AFP)
"Estamos muito contentes, especialmente porque na metade final da temporada passada consideravam que ele deveria deixar a F1. Agora ele faz isso, volta com tudo da forma mais dominante, esteve no controle pela maior parte do final de semana. Me lembrei de quando ele era o astro da F3 e destruía a todos, isso estava perdido. Mas, quando ele voltou das férias, me disse 'estou de volta'. Acho que ele realmente trabalhou duro e aproveitou testar em rali durante o inverno", seguiu o chefe.

Outro fator destacado por Wolff foi o ponto extra que Bottas levou por conquistar a melhor volta da corrida. O finlandês teve a marca pela maior parte do GP, mas chegou a perdê-la para Max Verstappen nas voltas finais. Porém, no penúltimo giro, garantiu o 26° ponto do dia com 1min25s580.

"Ninguém falava sobre o ponto extra mas ele tornou isso importante no final. A gente não queria que ele tentasse, mas nada lhe pararia hoje", completou. 
Valtteri Bottas (Foto: AFP)
Wolff, por fim, ainda se mostrou surpreso pela falta de força da Ferrari, que teve Sebastian Vettel em quarto e Charles Leclerc em quinto.

"Acho que ficamos surpresos, porque nós estávamos tão bem e eles não tiveram ritmo algum", falou para finalizou o chefe dos atuais campeões do mundo.

A segunda etapa da temporada 2019 do Mundial de F1 acontece em duas semanas com o GP do Bahrein, em Sakhir, na 999ª corrida da história da categoria.