Na Garagem: Sato chega em terceiro nos EUA e consegue único pódio da carreira

O Japão tem três pódios na F1, com três pilotos diferentes. A cota de contribuição de Takuma Sato veio há 12 anos, em Indianápolis

O Japão no pódio da F1 é algo raro. Considerando apenas as equipes próprias, foram nove pódios — e três vitórias — da Honda e outros 13 com a Toyota. No que tange aos pilotos, trata-se de algo ainda mais difícil: apenas três.
 
Sim, pilotos japoneses conquistaram troféus na F1 somente três vezes. Uma delas foi há 12 anos, em 20 de junho de 2004, em Indianápolis.
Takuma Sato teve um único pódio na F1: foi no GP dos EUA de 2004 (Foto: Ferrari)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Takuma Sato teve seu primeiro momento de destaque na F1 no fim de 2002, seu ano de estreia, correndo em casa. Com a Jordan, chegou na quinta posição.

 
Em 2003, ele correu apenas no Japão, já pela BAR, e ganhou a vaga para fazer a temporada completa em 2004. No melhor ano da equipe na categoria, os resultados foram melhores. Jenson Button começou a conquistar troféus já na Malásia, e a hora de Sato havia de chegar.
 
O desempenho na classificação já foi bom, lhe rendendo a terceira posição no grid, atrás apenas dos dois pilotos da Ferrari. Na corrida, ele chegou a andar na segunda colocação, mas só foi garantir mesmo o terceiro posto nas voltas finais, quando se livrou do italiano Jarno Trulli no último pit-stop.

Curiosamente, Sato é o único piloto japonês com um pódio fora de Suzuka. Aguri Suzuki, em 1991, e Kamui Kobayashi, em 2012, conquistaram seus troféus terminando na terceira posição do GP do Japão.

Takuma Sato teve um único pódio na F1: foi no GP dos EUA de 2004 (Foto: Honda)
Anos mais tarde, Sato quase teve o grande momento de sua carreira na mesma Indianápolis: em 2012, bateu na curva 1 do oval tentando ultrapassar Dario Franchitti para assumir a liderança na 200ª e última volta. Se na F1 o máximo que Sato obteve após o pódio foram dois quartos lugares, na Indy o retrospecto é um pouco melhor: ele venceu o GP de Long Beach em 2013 e teve mais três segundos lugares e um terceiro.
PADDOCK GP #33 ANALISA GP DO CANADÁ E FAZ PRÉVIA DO GP DA EUROPA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

Takuma Sato teve um único pódio na F1: foi no GP dos EUA de 2004 (Foto: Honda)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube