Oitavo, Webber diz que estratégia de três paradas custou três posições no GP da Hungria

A diferença entre o líder e o vice-líder do campeonato voltou a crescer. Oitavo colocado, Mark Webber afirmou que terminaria em quinto não fosse a estratégia errada que adotou para a prova. Quem terminou em quinto, então, foi Fernando Alonso, que agora está 40 pontos a frente do australiano

Pela segunda prova consecutiva, Mark Webber terminou atrás de Fernando Alonso e viu a diferença entre ele e o espanhol na classificação do Mundial crescer. No GP da Hungria deste domingo (29), vencido por Lewis Hamilton, Webber cruzou a linha de chegada só na oitava posição, enquanto o espanhol foi o quinto. Agora, 40 pontos os separam.

A corrida começou boa para Webber, que largou em um distante 11º lugar, de pneus médios, e, com uma excelente largada, subiu para sétimo. O problema é que sem um desgaste de pneus tão elevado no Hungaroring, as ultrapassagens foram escassas, e ele se manteve ali, pensando em ganhar alguma posição nos boxes. No fim, acabou foi perdendo, e culpou a estratégia por isso.

Mark Webber ganhou posições na largada, mas terminou só em oitavo no GP da Hungria (Foto: Red Bull/Getty Images)

A tática da Red Bull foi de três pit-stops, que se provou pior do que a de fazer apenas duas horas. Webber admitiu que, na essa opção foi feita porque o time pensava que “os outros fossem ter mais problemas com o desgaste de pneus”.

“Em vários momentos nessa temporada vimos as pessoas perderem várias posições porque os pneus acabaram”, lembrou Webber. “Eu estava pensando em continuar na pista, os tempos de volta estavam bons, mas sempre é difícil prever. No fim, a estratégia não funcionou bem e perdemos três posições”, lastimou o australiano.

Seu companheiro de Red Bull, por pouco, não perdeu o quarto lugar para Fernando Alonso quando retornou à pista após seu terceiro pit-stop. Jenson Button, da McLaren, que faria duas paradas originalmente, fez três, e também se complicou. A exemplo de Webber, que caiu de quinto para oitavo, o inglês perdeu três posições, e junto dos pneus trocou o terceiro lugar pelo sexto.

No último trecho do GP da Hungria, Webber ainda iniciou uma perseguição ao brasileiro Bruno Senna, em briga que valia o sétimo lugar. “Ultrapassar é muito difícil. Você precisa que os outros caras estejam com pneus ruins e tem que andar bem no último setor da pista. Eu até era mais rápido, mas não consegui completar o serviço”, finalizou o australiano, que já venceu duas provas em 2012: o GP de Mônaco e o GP da Inglaterra.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube