“Oito anos cobram seu preço”: Wolff reflete sobre deixar posto de chefe da Mercedes

Toto Wolff deixou claro que pretende continuar na estrutura da equipe hexacampeã do mundo, mas quer ter mais tempo e não pretende viajar tanto a partir do ano que vem

Um dos grandes pilares do sucesso da Mercedes na Fórmula 1 está prestes a definir seu futuro na estrutura da equipe de Brackley. Chefe da equipe desde 2013, Toto Wolff tem contrato a vencer ao fim do ano e, por enquanto, a única certeza que o ex-piloto, empresário, investidor e dirigente tem no momento é a que vai seguir na Mercedes. Não necessariamente na função que ocupa atualmente.

No último fim de semana, em entrevista veiculada pelo site norte-americano ‘Motorsport.com’, Wolff deixou nas entrelinhas que está desgastado em razão da rotina frenética de viagens que a Fórmula 1 impõe a seus funcionários ano a ano.

TOTO WOLFF; MERCEDES
Toto Wolff pondera sobre seu futuro na equipe hexacampeã do mundo (Foto: Mercedes)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Nas últimas categorias, o Mundial vem realizando em média 20 corridas por campeonato, e ainda que neste incomum 2020 a categoria tivesse de confrontar com uma pausa inesperada em razão da pandemia, tem um cronograma de 17 etapas ‘espremidas’ no segundo semestre, sendo que a corrida deste fim de semana, o GP da Toscana, em Mugello, vai ser o desfecho da terceira rodada tripla na temporada.

Por isso, Wolff pensa muito sobre o próximo passo na Mercedes. Onde se sente em casa. “Amo essa equipe e me dou muito bem com Ola Kallenius [CEO da Mercedes]. Acho que este é o meu lugar”, declarou.

“Só que oito anos nesta equipe como chefe estão cobrando seu preço, e isso é algo em que estou refletindo. É importante tomar a decisão certa para mim e minha família, mas você pode ter certeza de que estarei envolvido nesta equipe de uma forma ou de outra”, salientou.

Desta forma, Toto reitera, mais uma vez, que não tem a intenção de deixar a Mercedes. No meio do ano, o nome do austríaco foi ligado à Aston Martin, do amigo Lawrence Stroll, depois que o dirigente comprou ações da marca britânica. Mas Wolff avisou que a operação financeira foi simplesmente um investimento.

Por outro lado, em entrevista ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport, Toto ressaltou que não vê o futuro de Lewis Hamilton, que também tem seu contrato a vencer ao fim deste ano, atrelado à sua permanência ou não como chefe de equipe.

“Nosso relacionamento é forte, tanto quanto uma relação profissional permite. Somos amigos”, disse.

“Mas se eu decidir sair, ele vai continuar vencendo porque há muita gente boa na equipe. É como se ele tivesse de sair: perderíamos um grande piloto, mas a Mercedes não começaria a perder títulos enquanto tivermos o melhor carro e os melhores pilotos”, concluiu.

O único piloto da Mercedes garantido para a temporada 2021 até agora é Valtteri Bottas, que ingressou na equipe em 2017 após ser contratado para substituir o campeão mundial do ano anterior, Nico Rosberg.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube