Pérez afirma que demissão da Racing Point foi inesperada: “Ninguém me disse nada”

"Sete anos com o time, mas tudo chega ao fim": foi com um misto de conformismo e tristeza que Sergio Pérez comentou a saída da futura Aston Martin

A demissão de Sergio Pérez da Racing Point ao final da temporada 2020 foi confirmada na última quarta-feira (9). O mexicano deixa a equipe para a chegada de Sebastian Vettel, e agora está sem vaga para o próximo ano – e ele afirma: foi pego de surpresa.

Foi o que comentou nesta quinta, já no paddock de Mugello, onde a F1 disputa o GP da Toscana no próximo final de semana. Segundo Pérez, uma ligação de Lawrence Stroll (o dono da futura Aston Martin) foi feita, e dela veio o aviso.

“Ninguém me disse nada. Mas eu já sabia e havia compreendido algumas coisas. A confirmação final veio ontem (quarta). Está tudo bem. Sete anos com a equipe, sei que tudo tem um começo e, também, um final. Temos nove corridas para ficarmos orgulhosos”, disse Pérez.

Pérez está fora da futura Aston Martin (Foto: AFP)

Questionado sobre seu posicionamento de que os então boatos de que Vettel iria substituí-lo iriam se esvair, Pérez reiterou que era o que pensava: “Era o que eu recebia da equipe, que iríamos continuar juntos.”

“Houve algumas discussões nos bastidores sobre meu contrato, mas isso não vou revelar porque algumas coisas devem seguir internas. Ao final, eles me contaram ontem, oficialmente, que eu não continuarei. Não esperava. Mas é assim que as coisas são”, concluiu.

Sergio Pérez busca vaga na Fórmula 1(Foto: AFP)

Outro tópico abordado pelo mexicano foi seu futuro na categoria. Para ele, ter sido avisado antes de que sairia teria ajudado na busca por uma nova equipe.

“Eu entendo que negociações ocorram. Mas poderiam ter sido mais claros e isso me ajudaria. Agora preciso buscar um plano B. Tudo é possível agora, mas meu objetivo é permanecer na F1. Me sinto jovem e faminto para continuar aqui. Só tem de ser com o pacote certo, um que me dê motivação para entregar 100% toda volta.”

“E tem de ser em um projeto de longo prazo, pensando em 2022, porque acho que as mudanças no regulamento causarão grande impacto. É por isso que eu espero continuar até 2022, porque creio que surgirão várias oportunidades. Não espero tomar minha decisão logo, vou tomar o tempo necessário. Se não achar nada atrativo na F1, pensarei em outras categorias. Vamos ver”, finalizou Pérez.

Paddockast #77 | Como amar a moribunda Ferrari em crise?
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube