Promotor do GP dos EUA fala em evento “desastroso financeiramente”, teme perda de público em 2016 e culpa mau tempo

Bobby Epstein, promotor do GP dos Estados Unidos, lamentou que a experiência dos fãs que foram até o Circuito das Américas neste fim de semana tenha sido ruim e revelou que houve um grande impacto financeiro para sua empresa. Culpa das fortes chuvas provocadas pela passagem do furacão Patrícia pelo México

O GP dos Estados Unidos foi "desastroso financeiramente" para seus promotores. As palavras foram escolhidas pelo presidente do Circuito das Américas, Bobby Epstein, em entrevista ao jornal texano 'Statesman'.

Basicamente, o empresário lamentou que a experiência dos fãs tenha sido ruim devido ao mau tempo provocado pela aproximação do furacão Patrícia. As fortes chuvas impediram que o TL2 fosse realizado na sexta-feira e forçaram o adiamento da classificação para a manhã de domingo.

No sábado, os portões só se abriram depois do terceiro treino livre, o que fez com que apenas uma minoria de torcedores, que chegaram ainda no início da manhã, visse carros na pista.

Chuvas torrenciais afetaram o fim de semana da F1 em Austin (Foto: Reprodução/F1)

"Foi um fim de semana difícil", reconheceu Epstein, que teme um impacto negativo nos próximos eventos da F1 em Austin. "Perdemos milhões na venda de produtos que os fãs normalmente teriam comprado se o tempo estivesse bom. E sofremos com fãs tendo uma experiência tão ruim que eles não voltarão, embora eu espere que a gente ainda consiga fazê-los mudar de ideia." 

Por fim, o dirigente ainda falou que criação do GP do México fez com que a procura por ingressos caísse. A corrida no Autódromo Hermanos Rodríguez acontece neste fim de semana. O GP dos Estados Unidos foi disputado pela primeira vez em Austin em 2012 e, nos primeiros anos, havia registrado grande público.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube