Red Bull admite “efeito” com perda de Newey: “Temos de provar que estamos preparados”

O diretor-técnico da Red Bull, Pierre Waché, reiterou que o atual sucesso nas pistas não é atribuído somente a uma pessoa, porém reconheceu que a equipe precisa continuar trabalhando duro para provar que é capaz de seguir no topo sem Adrian Newey

Sem Adrian Newey a partir do segundo trimestre de 2025, a Red Bull vai precisar provar na prática que é capaz de ser tão competitiva quanto sob o comando de Pierre Waché, e quem disse isso foi o próprio diretor-técnico da equipe austríaca. O engenheiro reconheceu que perder o famoso projetista causa grande efeito, mas também enfatizou que o time já estava preparado para isso.

Newey surpreendeu o mundo da Fórmula 1 ao confirmar que deixaria a cúpula taurina após quase 20 anos de um dos casamentos mais bem-sucedidos e que já rendeu sete títulos de Pilotos e seis de Construtores. Ainda sem destino, várias são as possibilidades para o ‘Mago da Aerodinâmica’, que vão desde Ferrari, passando por Williams, Aston Martin e até aposentadoria.

Relacionadas


Do lado da Red Bull, é uma perda significativa, já que os projetos são assinados por Newey, porém o trabalho atual do britânico de 65 anos é muito mais de um consultor, com Waché diretamente ligado ao chefe, Christian Horner, na equipe. Além disso, o time de Milton Keynes também se resguardou para assegurar outros nomes de destaque, como o diretor-esportivo de longa data, Jonathan Wheatley, e o engenheiro-chefe, Paul Monaghan.

Waché falou à imprensa sobre a saída de Newey e garantiu que a Red Bull não foi pega de surpresa. “Conhecendo Adrian… Todo mundo sabe que, neste negócio, Adrian é um grande homem e talvez o engenheiro de maior sucesso na F1.”

Waché com Verstappen e Pérez: diretor-técnico garantiu que Red Bull está pronta para saída de Newey (Foto: Red Bull Content Pool)

“Acho que traz um grande efeito para nós, mas a equipe estava preparada. Não é como se estivéssemos esperando por ele por mais 20 anos. É preciso construir um time e ter certeza de que estamos preparados para esta eventualidade”, acrescentou

Em seguida, indagado se Newey não fará tanta falta, Waché admitiu que é algo “difícil de se responder com certeza”, porém enfatizou que “é o que estamos planejando”.

“É para isso que estamos trabalhando, mas o futuro nos dirá se estamos em um ambiente competitivo. Como dizem por aí, eles [os rivas] estão trabalhando duro para nos alcançar. E estamos trabalhando muito para continuar na frente. A equipe precisa fazer isso de qualquer forma”, seguiu.

“Já era um esforço coletivo entregar o carro, não é uma pessoa. Diria que estamos preparados para trabalhar em equipe para entregar um carro depois que alguém for embora. É uma pena, ainda mais quando esse tipo de pessoa é alguém como Adrian, que é muito importante nisso. Mas estávamos preparados para isso, com certeza. E acho que é algo que temos de provar ao longo deste e do próximo ano”, concluiu.

GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL todas as atividades do GP do Canadá de Fórmula 1 e transmite classificação e corrida em segunda tela, em parceria com a Voz do Esporte, na GPTV, o canal do GP no Youtube. Além disso, debate tudo que aconteceu na pista com o Briefing após classificação e corrida. Na sexta-feira (7), o TL1 está marcado para as 14h30 (de Brasília, GMT-3), enquanto o  TL2 encerra o dia às 18h. No sábado, o TL3 abre as atividades às 13h30, ao passo que a classificação está marcada para as 17h. Por fim, a largada está marcada para as 15h do domingo.

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.