Red Bull, McLaren e Renault desistem de testes com carro antigo por falta de motor

Seja por troca de fornecedor, seja por logística, três equipes ficam sem testes com carros antigos antes da temporada da F1. Apenas Mercedes e Ferrari confirmaram atividades até aqui

Testar com um carro antigo virou o jeito de tocar a preparação antes de iniciar a temporada da Fórmula 1. Mercedes e Ferrari já comunicaram que vão colocar os bólidos de 2018 na pista para atividades privadas, dando quilometragem aos pilotos e ensaiando os novos protocolos determinados pela categoria. Para outras três equipes, entretanto, simplesmente não é possível: Red Bull, McLaren e Renault até estão com chassis funcionais, mas esbarram na falta de motor.

O caso da Red Bull é o mais simples. O regulamento determina que testes privados só são possíveis com carros de dois anos atrás. Na ocasião, em 2018, a equipe de Milton Keynes ainda competia com motor Renault, isso antes da mudança para a Honda. Ou seja, não há como utilizar o RB14 ou seus antecessores. De acordo com o ‘Motorsport.com’, simplesmente não há mais unidades do motor francês na fábrica, impossibilitando a missão.

A Red Bull não tem como realizar testes privados… (Foto: Red Bull Content Pool)

Para McLaren e Renault, o grande problema é logístico. As equipes têm suas sedes principais no Reino Unido, respectivamente, em Woking e Enstone. E as duas podem usar carros de 2018, projetados com o motor francês em mente. O problema é que unidades de potência teriam de ser transportadas desde Viry-Châtillon, na França, fábrica da Renault onde tais equipamentos são produzidos. Os funcionários encarregados pela encomenda teriam de passar 14 dias isolados após entrada no Reino Unido, obstáculo que já levou ao descarte do plano.

“Do ponto de vista dos pilotos, infelizmente não temos disponível um carro de dois anos atrás que possamos utilizar”, disse Andreas Seidl, chefe da McLaren. “Só que, como vocês já sabem, o Lando [Norris] andou de kart e conseguiu um teste na F3. Estamos considerando o mesmo com o Carlos [Sainz] para ter os dois pilotos prontos. Claro, eles vão trabalhar no simulador também”, seguiu.

…assim como a McLaren (Foto: McLaren)

Como os dramas de Red Bull, McLaren e Renault mostram, é necessário ter motor disponível no mesmo país e estar em uma relação minimamente longeva. Salvo demais possíveis contratempos, apenas outras duas equipes do grid cumprem tais requisitos: Racing Point e Williams. Não há, todavia, informações sobre seus respectivos planos.

A temporada da F1 começa dentro de um mês, em 5 de julho. A prova inaugural será o GP da Áustria, em um Red Bull Ring com portões fechados.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube