Red Bull nega que patrocínio influenciou escolha por Pérez: “Merece essa chance”

Dietrich Mateschitz explicou que a equipe dos energéticos queria um piloto forte para fazer dupla com Max Verstappen e avaliou que o mexicano era um dos melhores pilotos disponíveis

Dono da Red Bull, Dietrich Mateschitz assegurou que acordos de patrocínio não foram determinantes na escolha por Sergio Pérez para formar dupla com Max Verstappen em 2021. O mexicano vai substituir Alex Albon no próximo ano.

Depois de estrear no rol dos vencedores da Fórmula 1 no GP de Sakhir, Pérez encerrou a temporada sem vaga, já que Sebastian Vettel será o companheiro de Lance Stroll na Aston Martin em 2021. No entanto, depois de muita espera, Checo acabou confirmado no time dos energéticos, com Albon rebaixado ao posto de reserva.

Mateschitz elogiou a atuação de Pierre Gasly em 2020 (Foto: Red Bull)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Mateschitz garante, porém, que a opção por Pérez não tem relação com os patrocinadores mexicanos que acompanham o piloto, mas com uma performance que é “impossível de ignorar”.

“Nós precisamos de dois pilotos fortes para o próximo ano”, disse Mateschitz. “Pérez é um dos melhores em termos de performance e nunca teve um chance em um carro como o nosso. Ele merece essa chance”, defendeu.

“Nossa meta era preencher o segundo cockpit da melhor maneira possível e baseado exclusivamente em performance, quem pode pontuar mais”, explicou.

Questionado se os patrocinadores que acompanham Pérez pesaram na decisão, Mateschitz respondeu: “Eu sequer sei quem ele traz. Isso não fez diferença”.

“Se ele traz patrocinadores com ele, são bem-vindos, pois não é um dote para o cockpit, mas um bônus para a equipe”, frisou.

Por fim, o executivo considerou que Pérez e Verstappen poderão lutar pelo título da Fórmula 1 no próximo ano, mesmo reconhecendo que a disputa será dura na ponta do grid.

“O próximo ano será muito apertado. Todos estão ficando mais próximos”, comentou Mateschitz. “Estamos nos aproximando da Mercedes, mas a McLaren e a Aston Martin também estão se aproximando de nós”, indicou.

“A competição é muito intensa atrás da Mercedes. E não podemos esquecer a AlphaTauri: [Pierre] Gasly teve uma temporada de pilotagem sensacional e está muito confiante agora. Daniil Kvyat também teve corridas excelentes, mas, infelizmente, faltou consistência a ele”, encerrou.

https://open.spotify.com/episode/56EWZtjjXZerTSc5mEGdpr?si=dXJwGloaQQ6ZEGdY1gUInQ&nd=1
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar