Renault negocia com FIA para “faminto” Alonso testar carro de 2020 em Abu Dhabi

Cyril Abiteboul descartou a possibilidade de Fernando Alonso participar de um treino livre 1 nesta temporada. “Ele não precisa dessa exposição”. Mas o chefe da Renault confirmou que negocia com a FIA uma forma de flexibilizar as regras de uma sessão de testes originalmente restrita a pilotos novatos no fim do ano

Fernando Alonso não quer saber de esperar até 2021 para pilotar o carro da Renault na Fórmula 1. Segundo Cyril Abiteboul, chefe da equipe de Enstone, o bicampeão mundial está faminto e ansioso para voltar a acelerar e, por isso, tenta buscar alternativas para colocar o espanhol no cockpit do R.S.20, atualmente pilotado por Esteban Ocon e Daniel Ricciardo, este de saída para a McLaren na próxima temporada, dando lugar justamente a Alonso, que vai regressar à Fórmula 1 depois de duas temporadas de ausência.

A Renault entende que não há a previsão de colocar Alonso em um treino livre 1 de um fim de semana de corrida, como as equipes costumam fazer para dar quilometragem a pilotos que vão disputar a temporada seguinte. Mas, por outro lado, pensa em aproveitar a sessão de testes que está marcada para Abu Dhabi dias depois da última etapa do campeonato, marcada para 13 de dezembro.

Um dos problemas para colocar Alonso em um treino livre 1 é o tempo muito limitado, de apenas 90 minutos, enquanto em uma sessão em Abu Dhabi o piloto pode ter até dois dias completos para acelerar. Geralmente, as equipes costumam alocar um piloto titular e outro jovem, segundo as regras dos testes no Oriente Médio, que é dedicado principalmente a testes com os pneus.

FERNANDO ALONSO; AMAZON;
Fernando Alonso não vê a hora de voltar a pilotar um carro da Fórmula 1 (Foto: Divulgação)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Entretanto, há a previsão de pouquíssimas mudanças nos compostos para a próxima temporada, uma vez que as regras vão ser praticamente as mesmas. Desta forma, até mesmo para reduzir os custos, as equipes chegaram a um acordo com a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para limitar a sessão a apenas um dia e somente com pilotos novatos.

É essa determinação que a Renault tenta flexibilizar junto à entidade. Tudo para saciar a fome de Alonso.

“Tenho a sensação de que ele está muito ansioso para testar, mesmo com o carro atual. Portanto, estamos buscando a oportunidade de fazer isso acontecer, mas sendo muito sensatos. Não estou falando de nenhum treino livre 1 porque, sinceramente, ele não precisa disso, não precisa da exposição de um treino livre 1. E precisamos claramente dessa oportunidade de acerto [dos carros para o fim de semana]”, salientou o chefe da Renault em entrevista ao site norte-americano Motorsport.com.

“Mas gostaríamos de vê-lo no carro porque posso sentir que ele está faminto por isso”, disse Abiteboul.

Quando questionado se o teste marcado para o fim do ano em Yas Marina é a melhor chance, o engenheiro francês não tem dúvida. “Sim, com certeza. Precisamos ver se isso pode acontecer com base nos critérios dos testes. Portanto, estamos conversando com a FIA sobre isso”.

O chefe da futura Alpine, novo nome da Renault para a temporada 2021 na Fórmula 1, disse que um dos motivos de Alonso estar animado é a melhora considerável da performance da equipe francesa nas últimas corridas da temporada. Com Ricciardo, o time de Enstone terminou em quarto lugar nos GPs da Inglaterra, Bélgica e, no último domingo, na Toscana. O australiano é o sétimo colocado no Mundial de Pilotos.

Na visão de Abiteboul, Alonso mudou a sua atitude, que, no momento do anúncio da sua contratação, era de focar esforços para a temporada 2022, quando a Fórmula 1 vai encarar uma revolução nos regulamentos técnico e esportivo. A Renault agora o vê ansioso e vontade de mostrar serviço desde já.

“No começo, era mais sobre o futuro. Um avanço muito difícil para 2022 e esquecer e cancelar 2021. Mas quando ele vê que estamos começando a ter batalhas interessantes na pista, Fernando quer alimentar o sangue de uma forma positiva. Ele quer ver se há algo ao qual ele possa se apegar”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube