Responsável por gestão de Silverstone dispara contra fase atual da F1 e detona: “É um produto de merda”

Patrick Allen reclamou que a procura por ingressos para as últimas edições do GP da Inglaterra foram abaixo do esperado, tornando o evento deficitário: “Os fãs não querem ver uma procissão”, declarou, cobrando uma melhora no espetáculo oferecido aos espectadores

Em dificuldades para assegurar a permanência do GP da Inglaterra por motivos financeiros, Silverstone não poupou críticas à fase atual da F1. Patrick Allen, responsável pela gestão do circuito mais tradicional e berço da categoria, descreveu a F1 de hoje como “um produto de merda”.

Em entrevista ao diário britânico ‘The Independent’, o dirigente abriu mais um capítulo de uma queda de braço que trava com Bernie Ecclestone, o chefe supremo da F1, a respeito de uma renegociação sobre a taxa paga pelo circuito para receber o Campeonato Mundial.

Recentemente, Ecclestone revelou que o pagamento da taxa de Silverstone, estimada em £ 16 milhões (R$ 95 milhões) referente à corrida deste ano, foi parcelada. O valor pago atualmente, de acordo com o contrato que se estende até 2026, é elevada em cinco por cento a cada ano, o que, na visão de Allen, pode tornar inviável a realização do GP da Inglaterra em pouco tempo em Silverstone.

O gestor de Silverstone entende que a F1 atual não atrai tanto público (Foto: Reprodução/TV)

Mas Bernie, ‘salvador da pátria’, conseguiu costurar um acordo com Silverstone para garantir a corrida ao menos para a edição do ano que vem. “Eles vão nos pagar este ano pela corrida de 2016. Concordamos em fazer um tipo de plano de parcelamento”, confirmou Ecclestone.

“Estamos fazendo tudo o que podemos fazer. Eles têm exatamente o contrato que eles queriam e pediram, que é muito mais benéfico do que os outros têm”, declarou o chefão da F1.

E embora a edição deste ano da prova tenha atraído cerca de 120 mil espectadores, Allen acredita que está cada vez mais difícil ‘vender’ a F1. “Meses atrás, disse para o próprio Ecclestone que não posso vender ingressos para um produto de merda. Os fãs não querem ver uma procissão. Como promotor, só posso promover o que você me entrega, e se isso não estiver à altura, as pessoas simplesmente não vão comprar”, disparou o britânico.

“Já disse que as pessoas não vêm para cá para ver os caras olhando as telas de dados. Os fãs querem ver gladiadores correndo e lutando por uma briga justa. Ninguém quer ouvir pilotos dizendo para economizar e dizer que ‘nós não estamos alcançando o cara na frente’, se contentando com o segundo lugar”, continuou.

“Acho que é criminoso quando nós temos este estado de corridas, e isso não é vendável. Acho que Bernie está tão frustrado com isso como estão todos nós”, complementou Allen. “Quando antes que o diretor-técnico ficou no degrau mais alto e não o piloto? Então você só tem de jogar a toalha e, então, buscar outra coisa”, complementou Allen.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube