F1

Rosberg vibra por finalmente superar Hamilton na luta pelo título da F1: “Ser campeão em cima dele é fenomenal”

Nico Rosberg, acima de tudo, mostra muito respeito sobre seu grande rival nos últimos anos na F1. O alemão considera Lewis Hamilton como “um dos melhores da história” do esporte e, por isso, ainda não acredita que conseguiu batê-lo e finalmente é campeão mundial de F1: “Cinco pontos, o que é inacreditável. E com o mesmo carro”

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 

Nico Rosberg conseguiu uma façanha quase inédita na F1. A confirmação do título mundial conquistado no último domingo (27), em Abu Dhabi, fez com que o alemão terminasse naturalmente o ano à frente de Lewis Hamilton. Algo que apenas um piloto, Jenson Button, havia conseguido, ao fim da temporada 2011. Rosberg foi o segundo companheiro de equipe a superar Hamilton desde o início da carreira do britânico na F1, em 2007.
 
Sabedor das qualidades do seu companheiro de Mercedes e rival nas pistas, Rosberg não se conteve e definiu Hamilton como “um dos melhores da história” e vibrou por ter a chance de terminar o campeonato à frente de Lewis, um sentimento, descrito por Nico, como inacreditável.
Nico Rosberg deixou Lewis Hamilton para trás para se tornar campeão mundial de F1 (Foto: Mercedes)
“Quero também parabenizar a Lewis, ele fez uma grande temporada, é um grande competidor, sempre incrivelmente rápido. É sempre difícil batê-lo”, disse o alemão em entrevista publicada pela página oficial da Mercedes nesta segunda-feira.
 
“Parece que estou correndo com ele desde sempre, lutando pelo título desde quando éramos pequenos no kart. E ele simplesmente é um piloto incrível e, claro, um dos melhores da história. Então é especialmente inacreditável batê-lo porque o nível é tão alto, e isso torna [o feito] cada vez maior”, definiu o novo campeão mundial de F1.
 
De fato, Hamilton, como dizem os números, está na galeria dos grandes da história da F1. Com 53 triunfos, é o segundo maior vencedor do esporte, só atrás das 91 vitórias de Michael Schumacher. Hamilton também ostenta 61 poles, que fazem dele o terceiro maior, só atrás de Schumacher e do seu ídolo, Ayrton Senna, além de 104 pódios, atrás de Schumacher e Alain Prost.
 

“Claro, ser campeão em cima dele é fenomenal. Foi um grande ano também, claro, ele guiou extremamente em algo nível, fez algumas corridas incríveis e é um competidor muito, muito difícil. Não sei quantos pontos terminamos à frente dele no fim, você sabe, cinco pontos, o que é inacreditável. E com o mesmo carro”, comemorou.
 
A rivalidade e a parceria entre Rosberg e Hamilton na Mercedes ainda estão longe de acabar. Isso porque os dois pilotos ainda têm contratos por mais duas temporadas com o time prateado, tendo a garantia de que vão dividir os mesmos boxes ao menos até 2018.