Vettel culpa “pouco ritmo” da Aston Martin por falta de pontos na temporada 2021

Com um desempenho ainda abaixo do esperado, Sebastian Vettel não conseguiu chegar a zona de pontuação em 2021. O piloto vê o "pouco ritmo" da Aston Martin como um dos culpados pela falta de resultados positivos

Hamilton pega Verstappen na tática e vence: assista aos melhores momentos do GP da Espanha (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

‘Fácil’ não é a palavra que Sebastian Vettel usaria para definir sua temporada de 2021 até aqui. Depois de se finalizar as corridas do Bahrein e de Ímola apenas na 15ª colocação, subiu apenas dois degraus em Portimão e Barcelona ao chegar a 13ª posição. Diferente do parceiro Lance Stroll, o tetracampeão ainda não pontuou. Por isso, Seb reconhece o problema: embora o carro esteja melhor, ainda falta ritmo para lutar por uma melhor lugar na classificação.

“Estou mais confortável, mas está realmente me faltando um pouco de ritmo para lutar por pontos”, disse Vettel. “Acho que [no GP da Espanha], olhando para trás, talvez aqui e ali pudéssemos ter feito algo diferente, mas preciso entender melhor.”

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Sebastian Vettel ainda não pontuou na temporada de 2021 (Foto: Aston Martin)

O dono do carro #5 observou que sua corrida no GP da Espanha também não foi ajudada por ficar preso atrás do Alfa Romeo de Kimi Räikkönen. O alemão admite que poderia ter andado melhor na pista catalã, mas o tempo gasto no primeiro pit-stop da corrida ceifou oportunidades.

“Talvez aqui e ali pudéssemos ter feito algo diferente. Alguns décimos e algumas posições iniciais podem fazer a diferença. Então, infelizmente não havia um espaço para nós [para ultrapassar Räikkönen]. Perdemos um pouco de tempo no primeiro pit stop, fiquei preso atrás da Alfa Romeo e gastei meus pneus. Essa foi basicamente a nossa corrida”, explicou.

A chance que o alemão vê para aprimorar seu desempenho nas pistas é continuar se comunicando bem com o AMR21. Além disso, ele acredita que em Mônaco, próxima etapa do campeonato e onde venceu em 2011 e 2017, possa trazer um melhor resultado.

“Cada fim de semana é um pouco diferente. E se estiver tão apertado, talvez se se sentir um pouco mais confortável, talvez o carro se adapte melhor à pista, e posso encontrar um ou dois décimos a mais”, relatou.

“Obviamente, em relação aos pilotos da frente, estamos perdendo força aerodinâmica, então será difícil. Mas Mônaco é sempre diferente, então espero que possamos fazer a diferença”, concluiu.

Fórmula 1 volta a acelerar com o GP de Mônaco, quinta etapa da temporada, em 23 de maio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar