Vettel exige investigação sobre estouro de pneus em Baku: “Pior lugar para isso”

O pódio animou, claro, mas Sebastian Vettel também quer quer a Pirelli explique direito o que causou os estouros de Stroll e Verstappen

Acidente do líder, erro do campeão e vitória de Pérez: os melhores momentos do GP do Azerbaijão (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

O GP do Azerbaijão teve um final alucinante com o estouro de pneu de Max Verstappen e a batida que causou, seguida pela bandeira vermelha e relargada parada. Para Sebastian Vettel, por exemplo, deu tudo certo: ficou com o segundo lugar e deu o primeiro pódio a Aston Martin na Fórmula 1. Mas não quer dizer que só isso está bem. Vettel não ficou satisfeito com a revolta dos pneus na pista azeri e quer apuração mais severa.

Pouco mais de 15 voltas antes de Verstappen, Lance Stroll, companheiro do tetracampeão na Aston Martin, passara pelo mesmo problema: estouro do pneu traseiro esquerdo em trecho de reta, que rendeu perda do controle do carro e pancada no muro. Por conta do segundo acidente semelhante, a direção de prova deu bandeira vermelha e permitiu que todos trocassem os pneus para as duas voltas finais.

“Quando Max teve o mesmo problema [que Stroll], ficou bem claro [que aconteceria de novo]. Quem seria o próximo? Esse tipo de coisa não deveria acontecer, então precisa haver uma ampla investigação, porque era provavelmente o pior lugar do ano para acontecer algo assim”, afirmou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Pérez cumpre metas com vitória e adaptação à Red Bull. Próximo passo é novo contrato

MAX VERSTAPPEN; RED BULL; ACIDENTE; BAKU;
A foto do GP do Azerbaijão! Verstappen chuta pneu furado que lhe tirou vitória certa no Azerbaijão (Foto: AFP)

“Poderia ter dado tudo imensamente errado quando acontece ali na entrada do pit-lane e dos muros próximos. Passamos naquele trecho a mais de 300 km/h. Fiquei preocupado, mas com a bandeira vermelha e tudo mais, sabíamos que todos trocaríamos de pneus e ficaria tudo bem”, apontou.

Ainda no domingo após a corrida, a Pirelli, fabricante única de pneus para a Fórmula 1, afirmou que os estouros não foram causados por desgaste de pneus e que, apesar do fato de que ainda começaria a conduzir avaliações detalhadas nos laboratórios da fábrica, em Milão, via “fatores externos” como causa provável.

Os outros dois pilotos que foram ao pódio no Azerbaijão também falaram sobre o assunto. Segundo Sergio Pérez, vencedor da corrida, esse tipo de problema é bastante grave.

“As velocidades com os quais se tem esse tipo de falha em Baku são bem extremas. Por sorte não aconteceu nada mais grave, mas tem de ser revisado para entendermos o que está rolando”, disse.

Lance Stroll arrebentou o carro no muro (Foto: Reprodução)

Pierre Gasly afirmou que dentro da corrida não ficou tão preocupado, mas que estouros de pneus como esses não podem ser comuns.

“Creio que eles dois [Vettel e Pérez] ficaram mais preocupados se comparados a mim porque os problemas foram com os companheiros de equipe deles. Eu não fiquei tão preocupado, mas claramente, em termos de segurança, acho que o de Lance passou enquanto ele estava a 270 ou 280 km/h e o de Max, a 300 km/h. Nessa velocidade você nunca quer ter problemas assim”, destacou.

“Estou muito feliz que nada mais grave aconteceu com os dois e saíram bem do carro, mas precisamos entender exatamente o que aconteceu para termos certeza de que não aconteça de novo no futuro. Nunca é bom ver esse tipo de coisa”, finalizou.

A Fórmula 1 retorna no fim de semana dos dias 18-20 de junho, em Paul Ricard, com o GP da França.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar